InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Compartilhe | 
 

 Fanfuck: Highschool Dangerous

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Sophia Blood

avatar

Mensagens : 1558
Pontos : 1835
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 20
Localização : Em minha casa, no pc o dia inteiro =.='

MensagemAssunto: Fanfuck: Highschool Dangerous   Sab Nov 24, 2012 6:54 pm

Capítulo 1


Sit tight, I'm gonna need you to keep time
(Sente-se direito Eu vou precisar de você pra marcar o tempo)
Come on just snap, snap, snap your fingers for me
(Vamos lá! Apenas estale, estale, estale seus dedos pra mim)
Good, good now we're making some progress
(Bom, bom, agora nós estamos fazendo algum progresso)
Come on just tap, tap, tap your toes to the beat
(Vamos lá, apenas bata, bata, bata seus dedos do pé no ritmo)

And I believe this may call for a proper introduction, and well
(E eu acredito Que isto pede por uma introdução apropriada, e bem)
Don't you see, I'm the narrator, and this is just the prologue?
(Você não vê? Eu sou o narrador, e isto é apenas o prólogo?)

Swear to shake it up, if you swear to listen
(Prometo sacudir, se você prometer escutar)
Oh, we're still so young but desperate for attention
(Oh, nós continuamos tão jovens Desesperados por atenção)
I aim to be, your eyes, trophy boys, trophy wives
(Eu pretendo ser, seus olhos, Garotos-troféu, esposas-troféu)

Swear to shake it up, and you swear to listen
(Prometo sacudir se você prometer escutar)
Oh, we're still so young, desperate for attention
(Oh, nós continuamos tão jovens Desesperados por atenção)
I aim to be, your eyes, trophy boys, trophy wives
(Eu pretendo ser, seus olhos, Garotos-troféu, esposas-troféu)

Applause, applause, no wait wait
(Aplaudam! Aplaudam! Não, espere espere...)
Dear studio audience, I've an announcement to make:
(Querida platéia do estúdio, Tenho um anúncio a fazer:)
It seems the artists these days are not who you think
(Parece que os artistas de hoje não são quem vocês pensam)
So we'll pick back up on that on another page
(Então voltaremos a esse tema noutra página)

And I believe this may call for a proper introduction, and well
(E eu acredito Que isto pede por uma introdução apropriada, e bem)
Don't you see, I'm the narrator and this is just the prologue
(Você não vê? Eu sou o narrador, e isto é apenas o prólogo)

Swear to shake it up, if you swear to listen
(Prometo sacudir se você prometer escutar)
Oh, we're still so young, desperate for attention
(Oh, nós continuamos tão jovens, Desesperados por atenção)
I aim to be, your eyes, trophy boys, trophy wives
(Eu pretendo ser seus olhos, Garotos-troféu, esposas-troféu)

Swear to shake it up, and you swear to listen
(Prometo sacudir se você prometer escutar)
Oh, we're still so young, desperate for attention
(Oh, nós continuamos tão jovens, Desesperados por atenção)
I aim to be, your eyes, trophy boys, trophy wives
(Eu pretendo ser seus olhos, Garotos-troféu, esposas-troféu)

Swear to shake it up, you swear to listen
(Prometo sacudir, você promete ouvir)
Swear to shake it up, you swear to listen
(Prometo sacudir, você promete ouvir)
Swear to shake it up, you swear to listen
(Prometo sacudir, você promete ouvir)
Swear to shake it up, swear to shake it up
(Prometo sacudir, você promete ouvir)

Swear to shake it up, if you swear to listen
(Prometo sacudir se você prometer escutar)
Oh, we're still so young, desperate for attention
(Oh, nós continuamos tão jovens, Desesperados por atenção)
I aim to be, your eyes, trophy boys, trophy wives
(Eu pretendo ser, seus olhos, Garotos-troféu, esposas-troféu)

Swear to shake it up, and you swear to listen
(Prometo sacudir se você prometer escutar)
Oh, we're still so young, desperate for attention
(Oh, nós continuamos tão jovens, Desesperados por atenção)
I aim to be, your eyes
(Eu pretendo ser seus olhos).
-----------------------

Imagine cantar isso para a sua escola, com 700 alunos... Todos esperando um mínimo erro seu para debochar de você pelo resto do ano...
Pois bem, eu cantei, sem um mínimo erro... Afinal, ensaiei dias seguidos, sabendo desta maldita apresentação! Como? Bem, tenho minhas fontes afinal, hehe.
Ah! Perdão, não me apresentei não é mesmo? Meu nome é Sophia Blood, tenho 16 anos e estudo na Imperial Institute of Studies... Eu sei, eu sei nome pomposo, só posso ser rica né? Não mesmo! Tenho bolsa de estudos. Minhas notas sempre foram boas, então não tive problemas em conseguir a bolsa integral...
Agora, bem... Tem um garoto que não é muito sociável, Daniel... Ele adere o estilo eclético, cabelo bagunçado, ruivo, pele branca, olhos verdes (brilhantes como esmeraldas), sim, sim... Eu o acho bonito... Somos melhores amigos (na verdade sou a única amiga dele, ele não confia muito nas pessoas...), ele curte Iron Maiden, eu Rihanna, ele Nightwish, eu gosto um pouco, mas prefiro Evanescence...
Imagino que vocês estejam pensando: Como alguém que gosta de Rihanna pode gostar de Metal ou Rock? Simples! Sou fã de qualquer tipo de rock! Mas também curto um pouco de pop!
Eu fui escolhida para a abertura do ano letivo, ano passado foi a, uma vadia que namora o Fernando, ou como eu e minha gêmola chamamos o CBCG. O nome dela é Lívia Lovering.
Somos da turma da tarde, a da manhã e noite não têm um mínimo contato conosco, o que eu acho bem estranho... Mas enfim, a escola é interna, e vamos ter uma série de professores novos, cada sala para uma matéria, sim, estudaremos com outras turmas... Mas com o mesmo conteúdo, já que as turmas serão da mesma série.
Nossa turma é a 15b(estudamos com a 15A, 15C e 15D), cada turma têm 12 alunos, para não sobrecarregar os professores...
São duas turmas por período, totalizando 24 alunos! Imagina só, você no verão, numa sala que parece mais uma masmorra, com 23 pessoinhas com você... E pior! Eu D-E-T-E-S-T-O um amontoado de gente! Mas fora isso; não tenho do que reclamar...

Capítulo 2


Segunda-feira, tem dia mais CHATO?! E pior, entraram alguns alunos novos... Terei que mostrar a escola a eles, por isso fui dispensada de minhas aulas hoje. Eu estava andando num corredor e comecei a descer a escada, quando escorreguei e caí de cara no chão. (comentei que sou desastrada? Não? Bem, agora vocês sabem...)

Bem, só sei que quando eu me levantei uma garota de Cabelos compridos lisos e levemente ondulados nas pontas, olhos castanho escuros, cor de pele alva, estatura média me encarava com cara de curiosa...
-Err... Você ta bem? - Perguntou a garota me ajudando a levantar
-S-sim, obrigado - Eu disse sentindo minha face esquentar...
-A propósito, sou Nathally Hated, cheguei hoje na escola - Ela me disse com um sorriso tímido

Ótimo! Fiquei parecendo uma palhaça diante da aluna nova!!!

-Err, Meu nome é Sophia Blood, eu vou mostrar a escola pra... Vocês? Onde estão os outros?
-Ah, claro! Bia-san!! Vem cá!
De repente eu fiquei paralisada, uma garota alta, de aproximadamente 1.70 de altura, pele bem clara, cabelos castanhos escuros quase pretos, olhos mel com tom quase dourados apareceu do lado da Nathally, quando me viu ela abriu um sorriso e veio me cumprimentar:
-Yo! Meu nome é Bia Winamoto! E o seu?
-Sophia, Sophia Blood. Prazer em conhecê-las -disse sorrindo - Mais alguém?
-Nekiba-san ainda não veio certo? -Perguntou Nathally
-E parece que iriam entrar mais dois alunos... -Eu disse
-Nha, que pena, provavelmente eles virão durante a semana... -Disse Bia fazendo biquinho
-Que turma vocês são? -Perguntei
-15a - Respondeu Nathally
-15c - Disse Bia
-Bem, eu sou da 15b, eu vou pegar os horários para vocês...
-Nossa, que confusão! -Disse Bia após receber o horário.
-É, eu sei... Observem que teremos algumas aulas repetidas...
-Teremos a mesma aula? -Perguntou Nathy
-Aham...
-Parece Hogwarts - Disse Bia com os olhinhos brilhando
-Hehe, também pensei nisso quando entrei aqui, mas é um pouco diferente - Eu disse
-Como assim?
-Bom, existem quatro turmas, todas do mesmo grau, no caso ensino médio... Existe um escritório para os presidentes e vice-presidentes de turma, para questões como passeios etc. São quatro escritórios, além de um professor responsável por aquela turma, e têm a sala dos diretores, onde os 4 presidentes E vice-presidentes se reúnem, para discutirem o desempenho das turmas, combinar passeios, pintura das salas, etc. Por exemplo, eu sou a vice-presidente da minha turma (15b), o Dani-kun é o presidente... Entenderam?
-Meio confuso, mas dá pra sacar. - Disse Nathy
-Quem é Dani-kun? -Perguntou Bia
-Daniel Lovering, é meu amigo... Vocês vão conhecê-lo mais tarde...
-Sophia-san! Ainda bem que achei você! -Disse o professor Komuro, de Japonês - A sala esta uma guerra!
-Ehh? O que houve?! -Perguntei
-A Barbara e a Lívia estão brigando, enquanto o Daniel e o Fernando tentam separar!
-Aff, eu "tô" indo, se importam de me acompanhar? -Perguntei para as minhas novas 'colegas', elas disseram que não havia problema...
Ao chegar à sala, Barbara tinha um corte acima da sobrancelha direita, e o Fernando um machucado no olho esquerdo, provavelmente de um soco do Dani-kun. Lívia estava com o lado esquerdo do rosto vermelho, e Daniel com a boca sangrando...
-WTF?! -Foi a única coisa que consegui dizer
-Sophia... -Cuspiu Barbara de um jeito que demonstrava desprezo
-Lamas - Eu disse no mesmo tom de voz
-Sophia-san! -Gritou Daniel
-O que aconteceu aqui? -Perguntei
-A Lívia, me ofendeu... -Disse Barbara
-Uhum, o que ela disse?
-Me chamou de vaca!
-Nada que não seja verdade... – Ouvi Daniel dizer baixo
-Certo... – Eu disse tentando segurar a risada - Algo a dizer Lívia?
-Não! Ela deu em cima do Daniel e ainda acha que pode tirar uma com a minha cara?!
-Muito bem... Fernando, Daniel, Lívia e Barbara, vocês virão até a diretoria comigo - Informei
Só pude ouvir um estalo e senti meu rosto arder, mas, por reflexo eu meti um belo soco no rosto de quem havia me batido. Só depois eu vi que tinha sido a Barbara...
-Ooooh! -Toda a sala mais as novatas exclamaram
-Ora sua!
Bem, vou resumir o que aconteceu: Barbara tentou me jogar no chão, puxando-me pelo cabelo, mas, como ele é curto e repicado, não deu muito certo. Eu a puxei pelo braço de dei uma joelhada em seu estômago, fazendo-a cuspir sangue... Exagerei? Sim, mas bem que eu gostei hehehe...
Depois disso, nós sete (Sophia, Lívia, Bia, Nathy, Barbara, Fernando e Daniel) fomos para a diretoria, as novatas foram liberadas, mas cada um dos que estavam brigando ganhou uma advertência, e fomos suspensos das outras aulas...
-O que deu em vocês? As duas pessoas "pacifistas" se meteram em uma briga? -Eu brinquei
-Aff, aquela lama ambulante vai nos encher o saco, e ainda cantou o meu aneue - Disse Lívia bem irritada
-Eu podia ter dado conta Lívy-chan, sei me defender... -Disse Dani-kun
-Pode até ser Dani-kun, mas aquela "vaca" tira qualquer um do sério...
-É... Você tem razão...
-O que houve com você, sua boca ainda ta sangrando criatura...
-O Fernando-kun me socou por eu estar... O que foi que ele disse mesmo?
-Ele disse que você estava cantando a namorada dele... Como se alguém quisesse aquela vara-pau da Bárbara!
-Só tenho uma coisa a declarar... Agora é guerra! – Eu disse.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sophia Blood

avatar

Mensagens : 1558
Pontos : 1835
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 20
Localização : Em minha casa, no pc o dia inteiro =.='

MensagemAssunto: Re: Fanfuck: Highschool Dangerous   Sab Nov 24, 2012 6:58 pm

Capítulo 3


À noite, fomos para os nossos respectivos aposentos, eu dividiria o meu quarto com uma garota nova... Eu tomei meu banho e fui pegar um livro para ler... Tive que escalar a estante, quando a porta se escancarou e eu ouvi alguém gritar meu nome... Só tive tempo de sentir minhas costas batendo contra o chão, e o Dani-kun falar algo abafado...
-Sophia! Ei, Sophia!
-Itai... Por que esse tipo de coisa só acontece comigo? -Eu disse tentando me levantar
-Você está bem? Precisa de ajuda? -perguntou Nathy-chan
-N-Nathy-Chan? Bia-san?
-Yo! Cair é seu hobby? -perguntou Bia num tom de brincadeira. Ótimo, e eu achando que a situação não poderia ficar pior...
-Acho melhor deixá-la descansando... Eu cuidarei dela durante a noite
-Hmmm -Disse Barbara ao passar pela porta -Cuidar dela ou...
-Dá o fora, farinha láctea ambulante! - Gritei, mas logo me arrependi, pois arfei de dor...
-Garotas... -Começou Dani-kun
-Ta, já entendemos Daniel-kun... - Disse Nathy, arrastando a Bia porta afora...
-Mas, mas... Eu quero ver!!! - Gritava Bia em protesto
Dani-kun me pôs numa das camas, e ajeitou o travesseiro para que eu não sentisse a dor causada pela queda, afinal a estante tinha dois metros e meio...
-Às vezes você tem ideias muito... Ridículas, qualquer psicólogo, ou no seu caso psiquiatra, diria que você é suicida... Ai!
-Baka! Cala essa boca ou te acerto de novo! - Eu tinha batido com um volume do livro Grande Crônica da Segunda Guerra Mundial... (quem já leu/viu Soul Eater pode comparar ao Maka Chop)
-Certo, certo... Onde você arranja livros desse tamanho?! Vou ter um traumatismo craniano se continuar assim!
-Então não fala besteira - Disse irritada
-Eu vou desconsiderar isso, devido as suas recentes frustrações...
-Ah, deixa de ser tão... Nerd!
-Você que é burra - Ok, ele me desafiou huh? Muito dem Daniel Lovering, você vai ter o troco!
-Não me ofende assim Dani-kun! Snif, você me magoa...
-Bipolar...
Fiquei sem reação quando senti os lábios dele em minha testa, eu me sentia criança de novo, e lembrava quando eu caía (novidade né?), ele sempre fazia isso, ou me abraçava...
-Meloso; você fazia isso quanto tínhamos sete e oito anos
-E você contínua a mesma desastrada de nove anos atrás, caindo de estantes, escadas... Só não tente pular o muro da escola ta?
-Hehehe - Disse num tom sarcástico - Você é um amor Daniel...
-Eu também te amo Sophia...
Começamos a rir, até eu arfar... Odeio isso! Devo ter trincado alguma costela para sentir tanta dor assim...
-Vá dormir, tenho que voltar para o meu quarto, amanhã te levo na enfermaria...
-Quinta vez esse semestre... A Nanny-san não vai gostar de me ver...
-Hein? -ele perguntou
-Naniane lembra? Nanny-san? Nada?
-...
-Deixa quieto...
A porta abriu, e de repente uma garota de estatura média/alta, magra, pele bem pálida, olhos escuros. Cabelo escuro (preto até o ombro, daí pra baixo já é azul-marinho), liso, comprido até metade das costas, com franja cobrindo a testa. Entrou com uma mala camuflada azul-marinho, e ficou nos encarando...
-Errr... Quarto errado? -ela disse meio confusa
-Samantha Stygian? -perguntei
-Sim...
-Quarto certo eu só levei um pequeno tombo da estante e estou um pouquinho cansada... – Okay, minha cota de micos e mal-entendidos já estourou há séculos...
Ela ficou encarando a estante por algum tempo, depois colocou a mala num canto do quarto e se dirigiu a mim:
-Seu nome é Sophia Blood?
-Sim, prazer em conhecê-la Sammy-chan
-Não me chame de Sammy, por favor, odeio esse apelido! – Ela disse controlando a voz.
-Bem, acho que já vou indo... Tente não se matar até amanhã certo? - Disse Daniel
-Como eu disse: você é um amor - Falei sarcasticamente
-Ja ne Sophia... AI!
-Sírius?!
Dani entrou no quarto com um pequeno gato preto grudado em sua calça... Certamente com as garras cravadas em suas pernas...
-Achei que ele tinha parado com isso - Disse Dani-kun pegando o gato pelo 'cangote' e jogando ele longe
-Ter gatos psicóticos é sua especialidade né? -Zombei
-Eles são assim quando filhotes... -Disse Sam rindo
-Eu sei, mas os meus são energéticos... Ai! -Ele havia mordido sua canela
-Hehehehe... A Bastet não é assim, felizmente...
-Sua gata é louca! Bem, tenho que estudar para uma prova...
-Coff coff nerd, coff coff... - Pigarreei
-Aff - Foi a ultima coisa que ouvi antes dele fechar a porta, depois só ouvi um grunhido de dor, Sirius não dava folga mesmo
-Vocês são namorados? -perguntou Sam-san
-Não! - Disse já sentindo minha face esquentar - Eu apenas moro com a família dele... Eles me abrigaram há 10 anos...
-Perdeu seus pais?
-É... Acidente de avião... Na verdade foi ataque terrorista... - Disse dando de ombros
-Sei... Vou dormir boa noite...

Capítulo 4



No outro dia, levantei antes do amanhecer... Assim arranjaria tempo suficiente para fugir do Dani-kun... Não que ele me incomodasse, mas ele certamente me levaria para a enfermaria...
Eram 07h30min, quando trombei com o que eu julguei ser um cara, ele tinha 1,75, cabelos loiros tão claros que pareciam brancos, tinha uma franja cobrindo o olho direito, só que era azul-safíra, a pele era bem clara, e os olhos um estranho tom de violeta com cinza...
-Gomenassai! -Disse ajudando-o a levantar
-Tudo bem, não me machuquei -Ao me ver seu sorriso desapareceu -Bem, meu nome é Osaki Kamiouji, e o seu?
-Sophia Blood, você é um dos alunos novos? -perguntei
-Sim, está atrasada...
-Não est... -olhei o relógio, eram 07h31min - Ta, tanto faz... Mais alguém?
-E-Eu! Foi mal o atraso... -um garoto BEM mais alto que eu, 1,85 de altura, pele parda, cabelos pretos arrepiados, o nariz um tanto grande, e corpo atlético, chegou logo depois... Meu nome é Nekiba Kasama, prazer, disse ele balançando minha mão freneticamente
-Prazer Nekiba-san, Osaki-san, então... Temos 20 minutos antes da primeira aula, o que querem fazer? -Disse com um tom amigável
-Eu vou pra sala, não quero me atrasar... -Osaki disse e foi andando, me ignorando completamente...
-EI! Qual a sua turma?! -Gritei pra ele
-15A, satisfeita? -Ele disse em um tom meio arrogante
-Ta bem, foi mal, foi mal... -Credo, que bicho mordeu ele?
-Bem, a minha é 15D... Eu não qual sala é...
-Tudo bem, eu te levo até a sua sala, podemos comer algo primeiro? To morrendo de fome...
-Claro... -ele falou certamente se segurando para não rir
Fomos até a lanchonete, eu pedi um cappuccino e um pão de queijo, Nekiba-san pediu um suco de laranja e uma torrada.
Depois do lanche, e obviamente depois de escovar os dentes, fomos para a sala do Nekiba-san, o deixei lá e fui para a minha...
Ao entrar na sala, fui abordada pelo Dani-kun (por que eu achei que isso iria acontecer) sua expressão era um tanto preocupada...
-Eu to bem...
-Você foi transferida de turma... - Ele falou
-Hein?!
-É verdade, depois da briga, acharam melhor tirar você da turma... -Lívy falou
-Are, are... Pra qual turma eu fui "chutada"? -perguntei
-15A... -Disseram os dois
-Bem, a Nathy-chan estuda lá - falei com um sorriso, até me lembrar daquele andrógino estranho...
-Algo errado? -Perguntou Lívia
-Não -menti -Já vou indo, não quero chegar atrasada, tchau! - saí correndo o mais rápido que podia...
---------------
-A química analítica é o ramo da química que trata da identificação ou quantificação de espécies ou elementos químicos. Podem ser classificados como métodos clássicos ou instrumentais.

Que aula chaaata... Queria estar com a Bia-san agora, ou com a Sophia-san...

-C-Com licença... Eu fui transferida para essa turma...
-Sophia-san! -gritei, e logo todo mundo estava me olhando
-Yo, Nathy-chan - Ela falou com seu sorrizinho de "tô ferrada, mas dá pra segurar a onda por agora"
-Certo, certo... Faça-me o favor de ficar quieta, sente-se do lado do Osaki-kun...

Pela expressão dela, ela detestou a ideia, mas não poderia negar... O garoto que eu achava que era na verdade um travesti olhou com cara de surpresa para ela, mas logo voltou a olhar para a professora Norta, de química... Sério, meu primeiro dia aqui, e já detestei essa professora...

-Bem retornando ao ponto antes da entrada da senhorita Blood, No início e Desenvolvimento da Química, a maioria das análises empregavam a separação dos componentes de interesse (analitos) por técnicas como precipitação, extração ou destilação. Os compostos são identificados pela sua cor, solubilidade, ponto de fusão e de ponto de ebulição. Esses fatores contribuem para identificação das espécies químicas. Os analitos podem ser identificados por volumetria e gravimetria ou seja por titulação e medidas de massa. Estes métodos são relativamente simples de equipamentos e confiabilidade dos resultados obtidos. Apesar da química analítica atual ser dominada por técnicas instrumentais, o princípio de funcionamento de alguns de seus instrumentos baseiam-se em técnicas tradicionais ainda muito utilizadas atualmente.

Eu estava olhando para ela, mas não queria saber da aula, eu queria mesmo era dormir... Tenho que me lembrar de trazer um travesseiro amanhã...

-Lembrem-se que isso cairá na prova!

Prova?! Primeira semana de aula, e a bruxa quer prova?! Aff...

-Senhorita Hated, leia o próximo trecho, por gentileza...
-A análise qualitativa é empregada quando se pretende determinar ou identificar as espécies ou elementos químicos presentes numa amostra, podendo ser eles atômicos ou moleculares. Que pode ser de origem mineral, animal e vegetal. -falei sem problemas
-Blood-san o próximo
-Sim senhora... - Sua voz indicava que ela estava com tédio - A análise quantitativa é empregada para se determinar a quantidade de uma espécie ou elemento químico numa amostra. Sendo utilizada para a determinação de concentrações, volumes ou massa exata da substância, através de técnicas de: gravimetria, volumetria, instrumentais, entre outras é expressa por resultados numéricos dos componentes da amostra.

GRAÇAS A KAMI-SAMA!! O sinal tocou e teríamos literatura, apesar de eu não gostar, tudo é melhor que aquela sapa velha...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sophia Blood

avatar

Mensagens : 1558
Pontos : 1835
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 20
Localização : Em minha casa, no pc o dia inteiro =.='

MensagemAssunto: Re: Fanfuck: Highschool Dangerous   Sab Nov 24, 2012 7:00 pm

Capítulo 5

Era terça-feira, hoje foi uma aula muito estressante, a Lívia discutiu com a Barbara, tivemos que separá-las... E a professora de física deixou uma avaliação para testar nossos conhecimentos, muito chato!
Mas uma coisa é boa, nós combinamos de assistir uma maratona de animes, acho que até aquele garoto novo vai... Cara estranho, mas enfim.
Peguei algumas pipocas, Sam, Nathy e Lívia se encarregaram das bebidas, a Bia disse que faria uma ambrosia para nós, e a Sophia se responsabilizou pelo jantar... Uma massa com molho de creme de leite e brócolis, e uma lasanha de queijo... Não tenho certeza que vai dar certo, mas enfim...
Nós combinamos de nos encontrar no quarto da Bia, já que ela tinha uma televisão de 47 polegadas... Bom, indo pra lá, eu acabo encontrando com o Osaki-kun, ele segurava uma travessa redonda, com algo que parecia uma torta...
-Yo, Osaki-kun! -Digo alcançando-o
-Yo, eu me perdi...
-Eu estava indo para lá agora, o que você esta levando? -Perguntei em um tom amigável
-Torta de bolacha, já que a Bia-san fez ambrosia, achei bom levar algum doce...
-Boa ideia
Nós chegamos, ela tinha rearrumado todo o quarto, o beliche estava do lado da porta, havia várias almofadas na frente da TV, e duas mesas redondas no centro do quarto, e havia uma mesinha de centro logo na frente, com os refrigerantes, deixei as pipocas ali, e fui atrás da Sophia, ela se encontrava na cozinha do colégio, foi MUITO engraçado, ela estava com os cabelos presos, com aqueles lenços, ele era florido rosa-claro, o avental era igual, ela usava uma blusa branca e uma calça jeans velha, uma rasteira... Ah! E luvas nas mãos...
-Para com essa cara! -Ela me disse
-Huahuahuahua!!! -Eu estava chorando de rir
-Dani-kuun...
-Sim? -Eu acabei com um galo na testa, Sophia me bateu com um rolo de massa, não sei como não estou morto, com uma irmã psicopata como essa...
-O que dizia? -Ela me perguntou
-N-nada... Quer ajuda?
-Não, só falta o molho
Ela colocou duas caixinhas de creme de leite, e alguns brócolis picados, a massa estava separada, e a panela com água já estava no fogão, nenhum sinal de desastres ainda.
A lasanha já estava montada, no forno, Sophia estava com as roupas limpas, os hematomas já haviam sumido, enfim, tudo certo...
-EI! DANIEL!!! -Ela estava gritando comigo
-Ah! Que foi?!
-Tô falando contigo pô! Já pegou meu Netbook?
-Já, eu gravei os animes em dois DVDs, a Bia já ajeitou tudo...
-Nha, então ta tutô bem - Disse ela voltando a comida, ela colocou a água a ferver, colocou a massa, e começou a esquentar o molho. Ela estava tão concentrada, mais do que quando está em prova... Embora eu saiba que ela nem estuda... Mas voltando ao assunto, a massa já estava pronta, ela acrescentou o molho e misturou, a lasanha também já estava em cima do balcão, ela limpou tudo, e colocou papel alumínio por cima, dizem que preserva o calor... Como eu não cozinho, eu não faço ideia...
Nós subimos, levando a comida, todos já estavam lá, a Nathy tinha levado alguns amigos, que também curtiam animes, foi bem legal...

Quarta-feira, teríamos biologia com duas turmas... Tinha 36 alunos na sala!!! Eu tive que sentar no fundo, assim como a Sophia e a Nathy, eu detesto um aglomerado de gente na minha cola, foi bom porque eu pude sentar com a Lívia, a Nathy e a Sophia, era só uma aula de revisão dos últimos conteúdos do ano ficamos de almoçar com a Bia e o Nekiba, uma coisa bem estranha que eu notei: o Osaki era legal com todos, menos a Sophia... Como eu disse, cara estranho! Mas, nem tudo é como queremos, depois dessa aula, eu teria artes, mas a professora não veio, então nos deixaram ficar na sala, eu fiquei escutando música, e revisando mentalmente os conteúdos(Sim, sim, eu seu um legítimo CDF).
Fomos almoçar, nós pegamos um lanche, e conversamos um pouco, até a coordenadora chamar a Sophia...
---
Fui chamada pela coordenadora, fomos até sua sala, ela se sentou na cadeira bege, na frente de sua escrivaninha branca cheia de documentos papéis etc.
-Sente-se querida - Ela era uma das "autoridades" mais legais do internato, todos gostavam dela
-A senhora precisa de algo? - Eu perguntei no mesmo tom de voz animado, sempre gostamos uma da outra
-Bem -ela estava séria -Eu preciso de um favor seu...
-Claro; o que eu puder fazer pela senhora.
-Eu preciso que você vigie um aluno em especial, ele transitou em muitas escolas nos últimos três anos, e em todas, algum aluno desapareceu. Estou muito preocupada, principalmente com você e seus amigos...
-Entendo, mas, quem é essa pessoa? -Eu estava começando a ficar nervosa, nunca fui chegada em assassinatos ou coisa do tipo, ta, é mentira, mas façamos que não...
-... -Tivemos uma longa pausa, ela realmente estava com medo. Por fim ela disse: - Osaki Kamiouji...
Eu sabia!!! Tinha algo errado com aquele garoto! Droga, droga, droga, droga! O que eu faço agora?
-O-Osaki Kamiouji? O aluno novo? - Minha voz estava instável, só de falar o nome dele eu já sentia um arrepio na espinha...
-Sim. Você pode compreender a complexidade da situação não?
-Sim, irei ficar de olho nele. Agradeço a confiança, Carmen-san. -Eu disse saindo da sala.
Eu voltei ao refeitório, sentei junto com todos, eles me olhavam com curiosidade, claro que Lívia e Daniel já notaram o que estava acontecendo...
-O que ela queria Soph-Chan? -Ouvi Nathy perguntar
-Tomem cuidado com Osaki, ele é perigoso - Foi tudo o que disse, levantei e fui direto para os dormitórios...

Capítulo 6

Eu lavei o rosto e tive que tomar um calmante, Osaki-kun? Um serial killer? Cara***! Quando vejo, Sam entra no quarto e tranca a porta...
-Eu não entendi bem o que você quis dizer a respeito do Osaki-kun...
-Are, are... -Eu com certeza estava meio zonza - De acordo com a Carmen-san, todas as escolas das quais ele fez parte, alunos que mantinham contato constante com ele... Morreram então me mandaram ficar de olho nele...
-Com a sua coordenação vai ser difícil -Ela usava um tom sarcástico -Quer ajuda? De todos, eu sou a mais próxima dele, e a única que nunca baixa a guarda - notei um pequeno sorriso nela, mas, é a Sammy-chan né?
-Sério? -me surpreendi pelo tom de tédio que saiu na minha voz
-Sophia? Você está drogada?
-Não! -Eu gritava por dentro, mas minha voz saía fraca. Quando vi, estava no chão e tudo havia ficado escuro...
Acordei no hospital, com alguém esmagando a minha mão esquerda, eu virei o rosto, e era...
-Sophia-Chaaan!!! -Sim, era a Lívia...
-Sophia?! -Todos me chamavam, perguntando um zilhão de coisas, eu tentava falar, mas minha voz não saía
-Aí! Calem a boca Po**a! -A Sam tinha perdido a paciência
-Desculpa...
-O que aconteceu? -Perguntei
-Cara, sua voz está um fiapo... A Sammy disse que você estava meio mal quando ela entrou no quarto aí você desmaiou... -Bia estava preocupada.
-E-Eu tomei um calmante, estava meio... Are, qual é a palavra?
-Eufórica? -Nekiba-san falou
-Isso! Mas eu comecei a me sentir estranha...
-Os médicos disseram que era uma pílula de boa-noite-cinderela... -Dani-kun estava com uma expressão assustadora
-Não seria Boa noite Aurora? Já que ela é a bela adormecida? -Ouvi Nathy-chan dizer - A propósito, NÃO me espremam no canto!
-Onde está o Kamiouji? -Perguntei
-Aqui... -Ele se aproximou da cama onde eu estava - O que foi?
-O que aconteceu aos outros colégios onde você esteve? Por que alunos morreram? -Com certeza ele não esperava por isso - Nos deixem conversar às sós -Eu disse, eles estavam com medo, mas por fim, deixaram o quarto.
-Como eu posso explicar sem parecer um assassino? -Ele pensava alto
-Apenas diga a verdade...
-Bom, eu sempre fui meio... Introvertido, mas nesse caso, as pessoas que morreram, eram minhas amigas. Na verdade minhas únicas amigas...
-Como assim? Por que elas foram mortas?
-A família Kamiouji, nunca teve uma boa imagem na mídia. Minha prima, Annicka, esteve em 15 reformatórios e 30 clínicas psiquiátricas...
-... -Caralho! 15 reformatórios e 30 clínicas psiquiátricas?!!
-Recentemente, isso uns três anos atrás, ela fugiu da clínica, mas ninguém a encontrou ainda, foi quando as mortes começaram a ocorrer.
-Sei, Annicka Kamiouji,né? Como ela é?
-1.70, cabelos loiros como os meus, mas ela usa uma mecha... Rosa, e os olhos são vermelhos puros...
-Mesmo? Interessante... Há quem diga que pessoas que matam, tem a cor de seus olhos avermelhados...
-Seus olhos são um castanho-vermelho...
-Na verdade são mais vermelho-sangue, por isso eu mudei meu sobrenome para "Blood", mas voltando, dá pra confundir vocês dois...?
-O cabelo dela é longo... Perai, você me chamou de travesti?! -Ele estava ao mesmo tempo corado, e com raiva...
-Não! De andrógino talvez -Notei seu olhar mortal -Táá, esquece... Mas, se ela cortasse o cabelo, e pintasse a mecha de azul, ela ficaria parecida com você, certo?
-Pensando assim, é possível...
-E como ela viveu em clínicas, é possível que ela tenha acessos a drogas, como a que usaram em mim, certo?
-Sim...
-Boom -Eu disse me levantando -Você vai ficar se lamentando, ou vai ajudar?
-Ce-Certo... Como eu posso ser útil a você, Sophia-san?
-Arranjando uma distração, eu tenho que sair daqui, né? Fale com a Samanta, ela tem ótimas ideias!
-Yoshi.
(...)
-O que?! -Daniel parecia espantado
-Você ouviu, precisamos criar uma distração - Eu já estava ficando sem paciência, por que todos hesitam em explodir um hospital?
-S-Sam-san, eu não acho uma boa ideia... -Nathy também não concordava, ótimo...
-Talvez, se entrasse um cachorro aqui, com certeza as enfermeiras iriam pirar... -Sophia disse saindo do quarto, ela usava um vestido azul-claro e uma sandália prata - E também, precisa ser grande!
-Você me dá medo Sophia, por que apenas não saímos pela porta da frente? -Nekiba sugeriu...
-Droga Nekiba-san, você é muito certinho! -Eu, Lívia e Sophia dissemos ao mesmo tempo
-Já sei! -Disse Bia -Esperem aqui!
-E ela saiu correndo... O que ela vai aprontar? -Lívia estava morrendo de curiosidade, e nó todos também...
-Fogo!!! Evacuem o hospital!!! FOGO!!!! -Lááá vinha ela correndo...
-Não para a explosão, ou para o cachorro, mas incendiar o hospital vale? -eu não gostei disso! Não é justo!!
-E-Ei! Põe-me no chão!!! -Sophia esperneava, Daniel tinha pegado ela enquanto corríamos - Me põe no chããããão!!!
(...)
Beem... Parece que teremos que ir para a nossa casa, vocês querem vir junto? -Como eu sei que a Sophia ODEIA a minha mãe, acho que as garotas podem dar um jeito naquela velha chata, ao menos por um tempo...
-Claro! Não perderíamos por nada! -Impressão minha ou eu vi um brilho malicioso no olhar da Nathy? Esquece...
-Por mim... -Era Sam quem falava - Desde que eu não seja atacada por cães, eu topo...
-Tudo bem, sempre quis conhecer a casa de vocês!
-Nos conhecemos há duas semanas bia... -Disse Nekiba
-Mesmo assim!!!
-Ok, ok... Então vamos? -Sophia tinha um falso entusiasmo na voz...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sophia Blood

avatar

Mensagens : 1558
Pontos : 1835
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 20
Localização : Em minha casa, no pc o dia inteiro =.='

MensagemAssunto: Re: Fanfuck: Highschool Dangerous   Sab Nov 24, 2012 7:04 pm

Capítulo 7


Ao chegar lá, nos deparamos com uma enorme mansão, toda branca, com janelas enormes, cortinas feitas da mais pura seda, com uma escada de mármore, e o corrimão era feito de ouro puro, o telhado era negro, com um brilho incomum, mas ao canto do pátio, havia uma casinha simples, de madeira clara, e o telhado era branco, a escada era de mármore também, mas bem mais simples...
-Oooh - Todos ficamos olhando para a casa por um tempo
-Bem, vou largar as minhas coisas e já acompanho vocês. -Sophia ia em direção a casa mais simples, enquanto entrávamos na casa maior, o interior também era lindo! Os móveis tinham uma cor clara, e que combinava completamente com o ambiente, havia também uma escada para o segundo andar, coberta por um tapete vermelho, de lá, descia uma mulher de aparência jovem, tinha a pele pálida, seus cabelos eram longos, presos em uma trança que estava caída sobre o ombro direito, os olhos verdes-esmeraldas, usava um vestido branco de seda, e uma sandália gladiadora prata, com jóias das mais caras...
-Daniel, Lívia, meus amores! -A mulher veio até nós e os abraçou - O que meus queridos filhos fazer aqui? -ela olhou para nós - Ah! Muito prazer! Eu sou Secille Lovering, sou a mãe destes tesouros!
Sophia entrou na casa, pude notar o olhar de ódio da mulher para ela, mas logo sua feição mudou:
-Querem comer algo? Sophia, prepare um lanche, agora!
-Você tem suas serventes para isso, eu não sou obrigada a fazer nada, desculpe Daniel, mas eu não vou fazer teatrinho de família feliz! - E ela saiu batendo a porta
-Sophia! - Ele ia sair atrás dela, mas a mulher o impediu
-Não se atreva! Me amaldiçoo pelo dia que seu pai a adotou - Após isso, ela foi para a cozinha, gritou para as moças fazerem um lanche para nós.
-Desculpem por isso, eu já volto! - Daniel disse saindo correndo pela porta.
-Minha mãe detesta a Sophia, ela teve que vir para cá depois do acidente dos pais, meu pai é dono da empresa de aviões cujo avião onde os pais dela estavam...
Entendo, Sophia me disse que eles haviam morrido em um acidente terrorista contra o avião onde seus pais estavam...
-Eu vou dar uma volta tá? -Perguntei
-Ok, fique a vontade!
Saí para o quintal, tudo que havia de simpático naquela casa havia se transformado em enjoativo, pude ver Sophia e Daniel conversando, me aproximei sem ser vista...
-Você podia ter sido um pouquinho mais gentil com ela
-Sua mãe me trata como lixo! Já esqueceu o que ela fez comigo Daniel?! Nunca tinha visto Sophia tão perturbada, ela realmente detestava essa casa, não, a mãe do Daniel...
-Não esqueci, bem que eu queria... Mas mesmo assim, tente se acalmar, meu pai vai chegar logo - Eu ouvi uma gargalhada cínica dela
-Seu pai?! Daniel, sua mãe não foi capaz de contar o que aconteceu a ele?
-Como assim? O que houve Sophia?!
-Por que não pergunta a sua mãe? - Ela o deixou para trás e se dirigiu para a casinha, certamente ela era forçada a viver lá... Fui até a casinha, bati na porta, nada, entrei e Sophia estava chorando, haviam marcas de socos na parede, e sua mão estava sangrando, corri até ela.
-Nathy-chan... -Ela estava chorando muito, eu a abracei
-Pronto Soph-chan, calma. Eu vou fazer um curativo na sua mão
----
Eu entrei em casa, minha mãe conversava com a Sam, obviamente estava desconfortável, minha mãe detesta pessoas de gênero forte, que se opõem a ela, a puxei pelo braço até a sala de jantar que havia depois de um dos corredores ao lado da escada:
-O que aconteceu ao meu pai?! -Eu gritava, estava cansado disso tudo, Sophia sofreu da tortura dessa mulher, meu pai não podia fazer nada, Lívia nunca soube, mas Sophia estava sempre doente, anorexia, anemia, fora outras doenças, eu sempre tentava ajudá-la, mas minha mãe me impedia, e ainda me surrava por isso, tenho uma cicatriz nas costas de uma facada que levei dela!
O que mais me impressionou, foi que ela começou a rir, histericamente, ela chorava de tanto rir...
-Aquela vadia te contou não? -Ela se referia a Sophia
-Não, ela não me disse nada, fale logo!
-Ele morreu querido, foi assassinado há três meses...
-O quê?! - Senti lágrimas escorrerem pelo meu rosto, meu pai, morto? O único que poderia parar essa louca não está mais aqui?!
-Por tanto, EU sou a dona disso tudo agora, então não ouse levantar a voz para mim, garoto! Se quiser tanto proteger aquela cretina, vá embora dessa casa! Eu não a quero mais aqui! Entendeu?!
-Certo, como quiser Secille, estou indo embora, mas antes... -Eu estava de costas para ela, me virei e lhe dei um tava tão forte que a fez cair no chão, logo todos me olhavam, provavelmente ouviram a discussão da sala, Lívia estava estática, me olhava com medo, apenas subi para o meu quarto, fiz minhas malas e saí da casa sem falar uma palavra, bati na porta da casa da Sophia, a Nathy abriu, Sophia estava bebendo o que eu julguei ser suco de uva (bebida favorita dela), mas sua mão direita estava enfaixada, eu vi marcas de sangue na parede
-Dani-kun, por que está com malas?
-Eu vou embora - minha voz estava trêmula, Sophia se levantou e veio até mim
-IDIOTA! -Levei um tapa no rosto, não foi forte, pois foi com a mão esquerda
-O que houve?! -Nathally estava aterrorizada, eu disse o que aconteceu, Sophia sentou em sua cama, Nathy não disse nada...

Capítulo 8


Peguei minhas malas, iríamos voltar para o internato amanhã, e Sophia ainda não falava com o Daniel-san, isso me preocupa...
-Ohayo Nekiba-san! -Sophia estava radiante -Yo Minna! E Daniel... -O ultimo nome não foi pronunciado com alegria...
-Ohayo Sophia-san! - Todos disseram em coro
Nós comemos com um clima tenso, após isso cada um de nós voltou para seu respectivo quarto, para arrumarmos as malas...
-Nee, parece que o colégio vai nos obrigar a usar uniforme! - Pude ouvir Nathy-chan reclamar, ela e a Bia-san estavam no quarto ao lado
-Aff, mas acho que não vai ser tão ruim assim, normalmente os uniformes são bem bonitinhos!
-Vão ser sem graça!!!
-Não vão, você vai ver!
----
-Are, are! Onde deixei aquela faca?
-Faca? Desde quando você carrega uma faca Sophia-san? -Eu estava ajudando-a com as malas, afinal, ela vai se mudar...
-Ora, há um assassino no colégio, né? Então tenho que estar preparada! -ela estava se divertindo com tudo isso, legal...
-E eu pensando que você era normal... -Estávamos conversando numa boa, quando ouço batidas na porta
-Sophia-san? Samanta-san? -Era o Osaki-kun, ele se integrou mais ultimamente... -Temos que ir agora, Secille-san está surtando de novo...
-Aff, mata ela logo Sophia!
-Eu não! Vai que me processam? -Ela saiu do quarto, deve ter ido atrás da madrasta...
----
-Mãe controle-se! - Eu gritava, mas ela não me ouvia...
-Secille! Cala essa boca e escuta a tu filha caramba! -Sophia entrou em casa, confesso que gosto quando ela é assim...
-Cale-se pirralha!
-Cale-se você sua múmia cheia de botox!
-Aff, parem vocês duas... -Dani-nii-san estava descendo para a sala, carregando duas malas - Você é irritante Secille! -Ele nem chamava ela mais de mãe... Algo aconteceu!
-Quer ajuda nii-san? -Eu já havia levado minhas malas para o van, então não custa ajudar...
-Não, eu levo sozinho - Ele saiu carregando as malas, quando vejo, Sophia tinha sumido... Are...
----
-Aaaaaaaahhh!!! Eu não to encontrandoooo!!! -Eu gritava
-Que foi Nathy? -Bia entrou no quarto, ela já tinha levado a mala para o van
-Eu não to achando meu celular! Que drogaaaa!!! -Eu estava jogando tudo pra alto, eu adorava aquele celular!!!
-Calma! Tenho certeza que você guardou em algum lugar!
-Eu tinha deixado junto com o I-pod, mas eu não encontro!
-Nossa! Nem o meu quarto é assim! -Sophia havia entrado - O que aconteceu?
-Sumiu meu celular!
-Pior que eu não acho minha faca, acho que eu perdi... -Ela falava aquilo tranquilamente tipo: ah, minha bomba nuclear explodiu, tenho que tomar mais cuidado na próxima vez...
-Achei! -Bia disse - Estava embaixo da cama!
-Mas eu tenho certeza que eu deixei junto com o I-Pod!
-Vai ver caiu quando você espalhou suas coisas pelo quarto... -Sophia entrou, ajeitando algumas coisas - Eita! O que isso faz aqui? - Ela pegou uma faca militar com soco inglês.
-Que estranho! Isso era para estar com você, né? - Disse a Bia
-A princípio era... Nha, é bom eu guardar isso - Ela simplesmente saiu do quarto...
----
Pela manhã, todos estavam de volta nas duas vãs que os havia tragos, estavam na estrada, quando o pneu de uma das vãs furou...
-Ah, fala sério! -Sophia saiu da van - Vai dizer que não tem estepe?
-Na verdade... Não. - Osaki disse
-O que houve? -Daniell desceu da outra van para averiguar o problema.
-O pneu furou, e não temos estepe... -Sophia voltou a entrar na van
-Acha que chega até o internato? -Ele perguntou a Osaki
-Não, você não tem um estepe sobrando?
-Ter tenho, mas teria que tirar todas as malas do porta-malas... Alguém se habilita?!
No mesmo instante, todos saíram de suas vãs para ajudar a tirar as malas...
-Quer ajuda Daniel? -Sophia perguntou ao alcançar uma garrafa d'água para ele.
-Não, só preciso de água mesmo, valeu!
-Estamos parados há mais de duas horas, era só trocar um estepe, né? Ou tem mais algum problema?
-Na verdade... Sim, o carburador pifou... (não entendo muito de carros e afins, se tiver algo errado me falem tá?) Eu chamei o guincho, mas não sei quanto tempo vai demorar... Sophia?
-...
-Ta, tudo bem?
-Eu não acredito que você não checou o carro antes de sairmos!!!
-Não é minha culpa! O carro deu problema ué!
-Ei, ta tudo bem aí? -Sam se aproximou deles
-O carburador pifou... -Sophia sentou se se encostando a um dos pneus da van pifada - Por que isso ta acontecendo!!!
-Calma Sophia-san, ficar gritando, eu espancar o responsável por isso, como eu quero fazer, não vai ajudar em nada...
-Por que eu acho que eu ainda morrerei na mão de vocês?
-Cala boca Daniel! -Sophia e Samanta disseram ao mesmo tempo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sophia Blood

avatar

Mensagens : 1558
Pontos : 1835
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 20
Localização : Em minha casa, no pc o dia inteiro =.='

MensagemAssunto: Re: Fanfuck: Highschool Dangerous   Sab Nov 24, 2012 7:05 pm

Capítulo 9

Depois de umas 5 horas, finalmente chegamos ao colégio, para piorar a minha situação, tivemos que encarar um engarrafamento imenso na estrada principal, no fim, um cara tentou nos assaltar, Sophia, Sam e Lívia surraram tanto o cara que ele ficou inconsciente... Tenho que me preparar para morrer qualquer dia desses...
-Finalmeeente!!! -Lívia desceu do carro desesperada, ela fica enjoada em viagens de carro.
-Ufa... Achei que não iria acabar nunca mais... Mas enfim, vou largar nossas malas, e te trazer um suco de uva... -Sam pegou as malas dela, e pediu para o Osaki ajudá-la a levar as da Sophia, que havia se atirado na grama...
----
-Waaaaah! Achei que iríamos nos decompor na estrada! Nunca mais volto a viajar de carro! -Eu disse
-Bem que podíamos ir de jatinho - Nathy-chan também não estava em seu melhor humor...
Por fim, eu tomei uma garrafa de suco de 1 litro concentrado de uva, adoro sucos naturais, quanto mais fortes, melhor! Tomei um belo banho, que eu fui ver no cronômetro, 35 minutos e meio. Então é por isso que a Sam esta esmurrando a porta feito louca!
-Sophia!!! Abre essa PO**A de porta!!!!!
-Calma! Eu to viva! -Gritei abrindo a porta, eu estava enrolada na toalha, que estava bem curta, um pouco acima do joelho, com o cabelo encharcado, cobrindo parte do rosto, enfim, não estava apresentável, ao abrir a porta, todo mundo me olhava..
-Achei que você tinha morrido aí dentro! Todo mundo ficou preocupado!
-Kyaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhh!!!! -Eu bati a porta, e me encolhi num canto
-Sophia! Ei!!! -Ela continuava a bater na porta
-Vai embora!!! -No momento, eu não tinha coragem de olhar ninguém
-Sophia... -Era o Daniel, maldição!!!
-O que você quer? -Levantei e encostei as costas na porta.
-Posso entrar?
-Não!!
-Aff, então sai logo daí, a Sam também quer tomar um banho! -Então por que ele queria entrar? Eu hein!
-Tá, tá... Dá logo o fora daqui! -Me sequei e após vestir um roupão (com a certeza de que estava bem amarrado), saí do banheiro, só estava a Sam, tomando um café... Atirei-me na cama e puxei o cobertor acima da cabeça...
-Você tinha que ver a cara do Daniel-kun! Ai, ai... Acho que ele tem uma queda por você Sophia!
-Calada! Eu quero dormir! -Eu me abracei no urso de pelúcia, que eu ganhei da Lívia, peguei meu I-pod, e coloquei Wheels do AC/DC no último volume...
Ao ver que as luzes estavam apagadas, levantei, e fui até o pátio do colégio, tinha uma cerejeira na qual eu gostava de deitar em baixo quando queria ficar sozinha...
-Nee, Secille me expulsou, Annicka quer me matar, e agora talvez o Daniel tenha uma queda por mim? Por que minha vida não pode ser normal?! -Estava uma noite bem estrelada, era lua cheia, afrouxei um pouco o roupão, estava começando a sufocar, eu subi na árvore, e fiquei sentada sobre um dos galhos grandes.
-Faz tempo que eu não vejo uma noite assim... Não é, Lívia-chan?
-Tem sido assim ultimamente... Seria uma pena se esta fosse sua última noite, Sophia Nokano...
-É Blood agora...
Annicka retirou a peruca, seu cabelo estava mais curto, tirou a máscara, seu rosto possuía uma cicatriz no lado esquerdo, que ia da sobrancelha, até a metade da bochecha, ela pegou uma faca de lâmina dupla e se aproximou.
-Não vai fugir?
-Não, se quer me matar vá em frente... Não tenho nada importante para fazer!
-Realmente, você é igual ao que eu ouvi falar... É desprovida de emoções, e também, não percebe as verdadeiras emoções das pessoas... Você fez bem em manter o Osaki-chan por perto, assim eu não posso matá-lo...
-Hmph, eu realmente não percebo o que as pessoas a minha volta sentem, mas, dizer que eu sou Psicopata já é demais, não acha? -Eu desci da arvore, ela me jogou uma katana, preta e vermelha...
-É igual a do Okita Souji, ao menos na vesão do Hakuouki (não resisti!), porém, esta tem uma lâmina de verdade...
-Se quer lutar kenjutsu, é melhor chamar o Daniel, eu sou péssima...
-Você acha que eu não sei que foi você que o ensinou?!
-Ok, ok! Só me diga, onde está a Lívia?
-Se me vencer, eu digo...
-E se eu perder?
-Você morre!
-Ok! Parece divertido!
----
Droga! Como pude não perceber?! Sophia levantou e saiu, tenho que encontrá-la!
Desço as escadas, que levam ao pátio, Daniel me disse que ela gosta de ficar sozinha em uma cerejeira... Droga! Quem é aquela?
-Se quer lutar kenjutsu, é melhor chamar o Daniel, eu sou péssima...
-Você acha que eu não sei que foi você que o ensinou?!
-Ok, ok! Só me diga, onde está a Lívia?
-Se me vencer, eu digo...
-E se eu perder?
-Você morre!
-Ok! Parece divertido!
É, é a Annicka! Ela esteve disfarçada de Lívia esse tempo todo! Tenho que avisar o Osaki, e chamar o Daniel também!!!
Nem quis saber, arrombei a porta do quarto deles, Daniel pegou uma katana, e o Osaki caiu do beliche de cara no chão. É, nem todos são qualificados para serem assassinos...
Depois de contar o que eu vi, nós três saímos correndo, ao chegar ao pátio, Sophia estava com o ombro esquerdo sangrando, e Annicka tinha um arranhão no rosto... Era evidente quem estava na vantagem...
-Sophia! -Daniel estava muito preocupado, Osaki também, acho que ele sabe algo a mais... Terei que interrogá-lo depois
-Fiquem afastados! -Sophia estava falando sério?!
Anicka investiu contra ela, Sophia bloqueou com a katana, e chutou Annicka no lado direito do corpo, mas, Annicka retirou sua Wakisashi(se estiver errado digam!) e perfurou a perna direita de Sophia, fazendo-a cair, ela aproveitou e chutou a katana de Sophia longe... Porém, quando vi, Daniel já estava com a katana em mãos, ficou à frente de Sophia.
-Se quer matar alguém, que seja eu!
-Sai dai garoto! Meu assunto não é com você! -Annicka o jogou longe apenas com um chute... Sophia conseguiu ficar de pé, mas estava acabada, dava pra ver isso...
-Sam! -Osaki me chamava, eu virei para olhá-lo, ele estava segurando uma pistola Colt 45 (homenagem ao senpai ;3)
-O que você pretende fazer com isso Osaki-chan?! -Annicka falava em tom de deboche com Osaki
-Quem sabe, atirar em você?
-Não teria coragem de atirar na sua própria irmãzinha, teria?
-Eu não, mas a Sam sim! -Ele jogou a pistola para mim, fiquei olhando com “cara de tamanco” para ele.
-Nem pense...! -Já era tarde, dei um tiro bem no meio da cabeça, o problema foi a bala ter atravessado... Sei lá onde foi parar, deixa pra lá...
Socorremos Sophia, lá foi ela de novo para o hospital... Daniel só tinha quebrado uma costela, o traumatizante foi ter ouvido os gritos dele quando os médicos colocaram a costela no lugar... Sophia saiu toda enfaixada, podia-se dizer que ela era uma múmia do Egito...
-Ha há... Que graça vocês... -Claro que estávamos brincando, mas ela chegou a fazer biquinho, como se estivesse fazendo birra! Foi muito engraçado, pois ela mesma começou a rir!
Depois de três dias, os dois voltaram, e eu descobri que Sophia tinha um baralho de Yu-Gi-Oh! no armário, como nunca vi isso antes? Deve ser porque ela arrumou as roupas... Claro que ela não é párea para mim, mas é legal jogar com ela...
Daniel conseguiu comprar um apartamento perto da escola, como ele é mais velho, se forma primeiro, ao menos é isso que eu acho... Então ele e a Sophia vão dividir o apartamento, já que foram expulsos de casa(ainda acho que eu devia ter feito a madrasta deles ter morrido de “morte matada”... Mas enfim, Sophia ainda está meio mal, mas já comprou briga com a Barbara, com direito a banho de fonte... Na verdade, Sophia jogou ela na piscina, mas foi legal!
Ah! E também deu uma bela surra no Fernando, compensando ao soco que o Daniel levou no primeiro dia de aula:
Ao Sophia chegar na sala, Barbara tinha um corte acima da sobrancelha direita, e o Fernando um machucado no olho esquerdo, provavelmente de um soco do Dani-kun.
Lívia estava com o lado esquerdo do rosto vermelho, e Daniel com a boca sangrando... (aí ó, levou soco também!)
(pelo menos foi o que a Sophia me contou)
E o pior: ainda não sabemos onde Lívia está... Todos estão desesperados...

Capítulo 10


-AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
A manhã começou bem... Olho no relógio, cinco e meia da matina? Quem foi que gritou?! Eu chego nessa escola ontem e já tem uma louca gritando?!
-MATA DANI-KUN MATA!!!!!!!!!!! -Mas que po**a é essa!!!
Saí do quarto, uma garota de cabelos castanhos estava apavorada, impressão minha ou ela ta usando um quimono?
De repente sai uma outra garota, o cabelo dela era negro e... Azul marinho? Ela estava carregando um saco com uma barata dentro, devia ter uns 10 centímetros... Aff, que garota fresca...
-Tá com medo disso Sophia? Aff... -A outra garota disse
-Aaahhh! Cala a boca Sam! Tira isso daqui! -Então aquelas são Sophia Nokano e Samantha Stygian? Elas não podem ser as responsáveis pela morte da Annicka-sama!
-Ei! Sophia! -Um cara saiu de dentro do quarto - Já notou essa aura assassina? -Dorga! Fui descoberto!
-Are, are... Claro que já... Kyaaaaaaaahhh!!! Tira essa barata daqui Sam!- Quando vejo mais algumas pessoas saíram de seus quartos...
-Neee, Sophia-san, por que está gritando? Ai meu Zeus! -Uma garota, devia ser a mais alta, viu a barata.
-Caaara, Sam você matou o Cohen! (Não resisti Nekiba-senpai xD) Que feio matando animaizinhos inocentes! -Um garoto que mais parecia um armário disse
-Esse não é o Cohen, senpai, é só outra barata... -Ah, aquela é Nathaly Hated, já ouvi falar dela...
-Ba-ba-barata muuuito nojenta!
-Não grite tanto Soph-chan, vai acabar acordando as pessoas... -O maldito Osaki... Ainda mato aquele pirralho
Quando vejo, uma faca estava cravada acima de minha cabeça, pude sentir o sangue escorrendo pelo meu rosto
-Odeio baratas também Sophia-san... -Nathaly... -OPA! Gomenassai! Eu quase matei você...
----
-Odeio baratas também Sophia-san... -Tá aí alguém que me entende! -OPA! Gomenassai! Eu quase matei você...
Quem é aquele cara estrando ali? Hmmm, não haviam relatos de alunos novos chegando...
-Yo! Eu sou Sophia Blood, como se chama?! -Vamos ver o que eu consigo extrair dele...
-Eu sou... Abdul-Azim...
É um nome árabe... Significa servo do poderoso... Credo, que nome estranho!
-Ok, de onde você veio?
-De Israel...
-Ah... Certo, daqui a pouco as aulas começam!
-Sophia... -Daniel me interrompeu - São 6 da manhã... Nossas aulas são à tarde, e não pela manhã...
-Tá, desisto... -Fui entrando no quarto, Sam entrou logo depois fechando a porta.
-Cara estanho... Abdul-Azim? O que significa?
-Servo do poderoso, to achando meio estranho um cara de Israel vir até o japão, e principalmente estudar aqui...
-Será que ele é da gangue da Annicka?
-Possivelmente... Buuuhh, quero a Lívia de volta o quanto antes! Se eu tiver que exterminar meio mundo...
-Eu te ajudo... Ok, temos que conseguir algumas informações com o Osaki também...
-Você ta pensando no que?
-Interrogá-lo... -Ela viu meu olhar de preocupação -Não vou torturá-lo... Táaa, só um pouquinho, mas temos que saber algo né?
-Seria mais prudente chamar um detetive, né?
-Pra descobrir que eu matei alguém, e eu ser presa ainda? Nem morta!
-Ta, consiga alguma coisa com o Osaki, vou cuidar desse Abducio-alguma coisa...
-Abdul-Azim...
-Tanto faz! Fora que a Nathy quase matou o cara...
-É... Bora jogar Yu-Gi-Oh!? Nós não temos nada pra fazer mesmo!
-Vai interrogar o Osaki vai...
-Hahahaha, ta com medo de jogar comigo?!
-Com as suas cartas? Ta louca? Blue-Eyes Ultimate Dragon e Cyber End Dragon? Fora as outras... Ta querendo me esculachar!
-Há! Admite que eu seja melhor que você?!
-Anda logo Sam!
-Hahahaa, isso é um sim então! -Ela saiu do quarto...
-Tentei dormir, mas a minha querida amiga insônia não deixou, por algum motivo aquele Abducio me intrigava...
-Sophia? Posso entrar?
-Entra Dani-kun, a porta não tá trancada.
Ele entrou, parecia preocupado, servi um café para ele e um vinho pra mim (tá, eu consigo algumas coisinhas ilegais, ninguém é perfeito! A Sam tem uma metralhadora no armário!)
-Onde você conseguiu esse vinho?
-Vinho? Onde? Isso é suco de uva! -Disse servindo em um copo, ele pegou o copo e tomou um gole.
-Suco de uva né?
-Cala a boca que você tem morfina no seu quarto que eu sei!
-Q-Que?! Eu não tenho morfina nenhuma!
-Daniel...
-Você sabe o quando dói ter uma costela posta no lugar, SEM anestesia?!
-Não!
-Então cala a boca! Só não fique bêbada logo pela manhã!
-Ta... Por que veio aqui?
-Aquele cara me deixa inquieto...
-O Abducio-san?
-Hein...? O nome dele é Abdul-Azim!
-E tu queres que eu lembre disso?
-Aff...
Eu ouço um barulho meio estranho vindo da porta, a princípio não notei, mas aí...
-Daniel pro chão agora! -O joguei pro chão com mesa e tudo
Nisso o quarto todo começa a ser metralhado, certamente devia ser uma metralhadora automática ou sei lá o que! Quando os tiros pararam, corri até o armário e peguei minha arma: Um Winchester 1892 não me pergunte como eu consegui a arma...
Quando abri a porta...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sophia Blood

avatar

Mensagens : 1558
Pontos : 1835
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 20
Localização : Em minha casa, no pc o dia inteiro =.='

MensagemAssunto: Re: Fanfuck: Highschool Dangerous   Sab Nov 24, 2012 7:06 pm

Capítulo 11


Pude ouvir barulhos de tiros, mas Sophia mandou eu ficar longe do quarto por enquanto, beeem, vamos ao nosso interrogatório!
-Osaki-kun? -Eu batia na porta, mas ele não respondia
-Hmmm, Sam-san? -Ele abriu a porta, estava com uma regata cinza e uma calça de moletom, fora que os cabelos estavam bagunçados e ele tava com uma cara de sono...
-Tem um minuto? -Abri o meu melhor sorriso simpático, olha que não sou de sorrir muito...
-C-Claro, entra...
Ele abriu a porta, a cama do Daniel estava arrumada, como se nem estivesse sendo usada. Já a dele estava uma bagunça só, por fim, ele passou um café para ele, tinha uma mesinha redonda de madeira logo após o beliche, que convenientemente tinha uma lâmpada pendurada acima, sentamos ali, eu peguei uma água para mim, então comecei:
-Você meio que agiu de forma estranha no dia em que eu matei a Annicka... Por quê?
-Como assim?
-Beeem, 1°:Como diabos você tinha uma arma, e ainda por cima uma pistola automática?
-Legítima defesa ué...
-Você não mata nem mosca Osaki! -Bati as mãos na mesa, ele se assustou
-O que está insinuando Sam?!
-Que você sabe algo mais! Por exemplo, de onde a Annicka veio! E porque eles estão tão interessados na Sophia!
-Eu não sei de nada!
-Então por que você nunca trocou uma única palavra com a Lívia?!
-Eu não ia com a cara dela!
-Por que?! Porque ela era sua irmã psicopata disfarçada? E você sabia o tempo todo?!
-Já chega Sam! Por que você acha isso?!
-Por que você morre de medo da Sophia, mesmo sabendo que ela nunca iria fazer mal a você!
-Essa é a sua justificativa? A plausível Samantha Stygian só têm isso como evidência? Pelo amor de Deus Sam!
-Ca****o Osaki! Eu não estou convencida de que você é inocente nisso! Se eu descobrir que você está Ligado à gangue da Annicka... Eu vou deixar seu corpo tão repulsivo que nem o patologista vai querer chegar perto! Entendeu?!
-Ta... Faz o que quiser...
Quando saí do quarto, vi uma sombra correr pelos corredores, meu celular começou a tocar, era Sophia:
-Sam, você ta bem?
-Tô, por que pergunta?
-Alguém metralhou nosso quarto, o Abdulcio-san tá morto!
-Pelo Amor De Deus, diga que meu armário não foi fuzilado!
-Na verdade... Foi.
-Eu mato o Filho da pu*a que faz isso! Quem foi?!
-Não faço ideia! Sam; iremos chamar ele!
-Não, tudo menos ele!
-É o único jeito! O diretor ta em viagem, os coordenadores sumiram e os professores não fazem po**a nenhuma!
-Certo então... Mas é melhor nós nos livrarmos das armas, bebidas e sedativos...
-Eu sei... -Ela estava fazendo uma voz chorosa, de repente Daniel tomou o telefone da Sophia
-E as minhas morfinas? Eu vou morrer de dor sem elas!
-Te vira, eu não quero ser presa por sua causa... -eu andava pelos corredores - Outra coisa, toma cuidado com o Osaki, acho que ele ta meio chapado...
-Como assim - Os dois perguntaram, Daniel devia ter posto no viva-voz
-Eu não sei dizer... Mas nós discutimos agora a pouco...
-O Quê?! Vocês discutiram? O que houve? - Sophia fica me enchendo dizendo que eu to afim do Osaki
-Não é da tua conta! Escuta, liga pra ele agora... Amanhã talvez já esteja aqui!
-Certo, toma cuidado Sam!
Coloquei o telefone no silencioso, normalmente em filmes de terror e afins, o personagem sempre se ferra por causa do telefone ou rádio... Fui atrás daquele vulto que eu havia visto antes, infelizmente eu não estava armada, mas se eu fosse descoberta, sairia correndo à mil, como a Sophia faz quando se encrenca.
Estava perto do ginásio, há rumores de que um assassino havia matado todos desta escola há 160 anos. Sempre me interessei pela lenda, ninguém nunca confirmou nada, mas dizem que todo ano no dia 13 de maio à meia-noite, o assassino mata todos aqueles que querem matar alguém da escola. Sorte a minha, eu matei a Anncika, então devo estar na lista também...
Ouço um barulho vindo de um dos arbustos, chego perto e vejo uma garota de cabelos negros, bem pálida agachada, porém há sangue no chão, então lembrei que possuo uma faca escondida no roupão (Só pra explicar: A Sam usava uma camisola preta, com um roupão por cima, semi-aberto, e estava usando um chinelo, bem simples...
-O que você faz por aqui garota?
-Não foi justo...
-O que não foi justo?
-O julgamento - A garota e virou para mim, o sangue era de seu corpo, ela possuía vários cortes pelo corpo, e seu rosto estava apodrecido
Sinceramente? Eu nunca tive tanto medo na minha vida! Eu gritei o mais alto que pude, tentei recuar, mas meu corpo não se mexia, foi então que eu senti uma mão em meu ombro, não tive dúvidas, segurei o braço da pessoa que havia me tocado, e o girei por cima de meu corpo fazendo-a bater com as costas no chão.
-Argh! Por que fez isso Sam? -Era o Daniel-kun, que alívio
-Desculpe, achei que fosse... -A garota havia sumido, juro que foi tão real que eu não vou conseguir dormir até que possamos resolver isso tudo...
Enfim, voltei ao quarto, Sophia ligou para nosso querido detetive particular, embora eu o ache insuportável...
-O que aconteceu Sam? -Daniel me serviu um chá de camomila com açúcar, eram 10 e meia
-Eu tive a impressão de ter visto um fantasma...
-Sério? -Aff, agora ele e a Sophia ficariam tirando sarro da minha cara!
-Também tive essa impressão antes... Primeiro alguns vultos negros, agora o Abdulcio aparece morto... E você vê um fantasma...
-Há aquele rumor sobre o assassino, embora nunca tenha sido comprovado! -eu disse, cara, os chás da Sophia são ótimos!
-Não foi bem assim, eu conheço a história completa, e não é como dizem...
-E qual é a história verdadeira? -Daniel parecia interessado também...
----Sophia Pov's (on)----
Há cerca de 160 anos, esta escola era uma enorme mansão, seu dono se chamava Sasaki Inoue, ele tina uma filha chamada Sasaki Sakura. Na época ela devia ter 6 ou 7 anos de idade.
Inoue era cercado de empregados e afins, mas por causa de sua tirania, todos o odiavam... Sakura sofria de Tuberculose, que na época era incurável. Inoue gastava uma fortuna com médicos, curandeiros, e com aqueles que diziam ter poder e conhecimento o suficiente para curar a doença.
Havia também, um grupo de samurais, que tinham uma rixa com o clã Sasaki, o qual Inoue era líder, por causa da expansão de suas terras, os samurais foram desabrigados, e suas famílias, mortas pelos soldados do clã Sasaki.
Como vingança, os samurais invadiram a propriedade de Inoue, e raptaram sua filha, o pobre homem ofereceu tudo o que tinha aos samurais, quando a garota foi devolvida, estava totalmente pálida, com vários cortes pelo corpo, eles haviam abusado dela, os curandeiros do clã, conseguiram parar o sangramento intenso, mas Sakura morreu no dia seguinte, após uma crise da tuberculose...
Os samurais disseram que um dos empregados de Inoue foi o responsável pela morte da jovem, ele foi julgado e executado em público, tendo sua cabeça exposta em público. A lenda diz que a cada 10 anos, Sakura volta a sua antiga casa, para assombrar aqueles que matam e abusam de inocentes...
----Sophia Pov's(off)----
Todos ficamos atônitos com a história, Sophia tina um grande conhecimento sobre lendas e histórias do passado (rata de biblioteca) Mas ao ouvir o final da história me lembrei:
-A garota havia dito que o julgamento não havia sido justo... Talvez aquela fosse Sakura, e de certa forma, ela queira me dizer algo...

Capítulo 12

-Noossa! Que lugar enorme!
Eu havia sido chamado até o Japão para resolver um caso! Quem me contratou pediu exclusivamente por mim, de início não entendi o que a pessoa dizia, pois falava em japonês, mas aí quando passou a falar em Inglês podemos nos entender.
Ao entrar no “colégio” me deparo com uma garota de cabelos castanhos escuros, olhos vermelhos e pele pálida, ah, está é a senhorita Sophia Blood...
-Seja bem vindo, Backerson-san, peço que me acompanhe, por favor... -Certo, no que aprendi lendo um dicionário de japonês para leigos, dizia que o sufixo “san” era usado para pessoas de respeito, legal!
-Backerson-san?
-Ah, me desculpe... O que dizia?
-Para que me acompanhasse pela escola, por favor! -Devo tê-la deixado impaciente, ela me arrastou pelo braço, incrível como uma garota tão baixinha tem tanta força...
Ao cruzarmos um corredor até o pátio, pude avistar mais duas pessoas, uma garota, não muito mais alta que Sophia, com o cabelo negro e azul marinho, aquela deve ser Samantha Stygian, ao menos foi essa a descrição que Sophia me deu pelo telefone. E também, um rapaz ruivo de olhos verdes, o tal Daniel Lovering, o irmão da desaparecida.
-Seja bem vindo David-kun... -Disse Samantha, hmm... Ela parece estar escondendo algo!
-Ola senhor Backerson - Argh! Detento quando me chamam de senhor, me faz sentir um velho!
-Irei mostrar onde você irá ficar, se não se importa? -Sophia sem dúvidas era a mais... Cordial dos três, falava em um Inglês antigo, mas sua pronúncia denunciava que ela não era japonesa, ao menos de nascença.
Ela me levou até os dormitórios dos estudantes, ela me disse que eu me passaria de estudante, para não chamar atenção. Pois bem, quando ela abriu a porta do quarto, havia um beliche, já ocupado por alguém, do lado direito, do esquerdo, uma mesa, com um notebook e uma impressora. E também uma pilha de papéis, deviam ser trabalhos...
Ao fundo, uma mesa redonda, com duas cadeiras, havia uma lâmpada pendurada acima, dando um clima de sala de interrogatório. Atrás, haviam alguns balcões, com uma pia e um frigobar, e também alguns armários suspensos. Se não foce a falta do fogão, diria que era uma cozinha...
-Você irá dividir o quarto com Kamiouji Osaki, peço que o avalie... -Ótimo, vou dividir o quarto com um dos suspeitos!
-Certo, e quanto às aulas? Como vou entender? -Estava preocupado, sou péssimo em japonês!
-Não se preocupe, ficará na mesma sala que a Samantha-san, ela irá lhe ajudar!
Fomos almoçar, afinal eu estava morrendo de sono, e fome... Iria demorar a me acostumar com o fuso horário! Eles me levaram até a lancheria da escola. Pedi um café, e um croissant de frango... Sophia pediu um pastel de queijo, um suco de uva, e depois um sorvete de flocos. Samanta pediu uma coca-cola, uma torta fria, e um pedaço de pudim. Daniel pediu o mesmo que eu, só acrescentou uma torta de limão ao pedido.
Depois de comermos, eles me mostraram o colégio, ele tinha até uma praça! Qual colégio tem sua própria praça?! Bom só seu que estávamos passando perto de uma fonte, quando Sophia tropeçou, mas o pior foi... Ela me derrubou dentro da fonte! Meu sobretudo, o Lucivaldo, ficou todo encharcado!
-G-Gomen Backerson-san! -Ela veio me ajudar...
-Eu tô bem! -Sim, estava irritado - O que é isso?
O local onde Sophia tropeçou, era na verdade, uma “tampa” de pedra, que tapava um túnel clandestino, de acordo com os históricos do local, esta escola já foi um ponto estratégico em uma das guerras internas do Japão.
-Legal! Um túnel clandestino!
-Pretende entrar aí? -Sam perguntou
----
O David realmente pretende entrar aí dentro? Espero que ele esteja armado, pode ser perigoso, afinal, até com fantasmas estamos lidando!
-Claro! Afinal podem ter pistas! Embora tenha um cheiro estranho...
-Esse cheiro... -Era familiar para mim... -Essa não! David nem pense em acender fogo aí dentro!
-Por quê? -Ele estava prestes a riscar um fósforo
-É enxofre! -Ele jogou o fósforo longe - Corpos de humanos geralmente exalam enxofre depois de muito tempo enterrados! -Pulei dentro do buraco, eu tinha sempre uma lanterna no casaco, nunca se sabe...
E lá estavam, havia cerca de trinta corpos, todos jogados, um por cima do outro, eram os coordenadores, inclusive Carmen-san estava lá! Droga, o que está acontecendo aqui?!
David desceu logo atrás, ele tomou a lanterna da minha mão e começou a examinar os corpos...
-Foram mortos de alguma maneira desconhecida... -Ele disse
-Com licença - Me abaixei perto de Marian-san, chequei seu pescoço... Sabia! Havia um pequeno furo inclinado... -Bolha de ar, simula uma parada cardíaca...
-Pra fazer isso, precisaria ter um conhecimento mínimo de medicina... A enfermeira talvez?
-Acho difícil, ela tirou férias e não voltou mais... -ele parecia meio entediado...
-Sei... Você sabe aonde esse túnel vai dar?
-Como é que eu vou saber? É a primeira vez que eu entro aqui!
-Ahh... Eu vou seguir adiante e ver onde vai dar... Você vem junto?
-Mas é claro... Eu não quero ter que pagar o seu enterro...
Seguimos adiante, o túnel tinha cerca de 500 metros, ao chegarmos ao fim, havia outra tampa de pedra, nós a abrimos, era uma sala usada para torturas medievais... A Sam certamente iria adorar isso. Mas enfim... David examinou com cuidado, cada peça que ali se encontrava. Mas a porta se abriu de repente, e um homem grande, 187, cabelos brancos, caídos sobre os ombros, os olhos vermelhos, avançou sobre David, ele não teve tempo de puxar sua arma.
Sem hesitar, eu peguei minha Colt 45 e dei um tiro para cima, assustando o “homem”. Aproveitando-se do descuido, David o empurrou para o lado, imobilizando-o. Ouvindo o barulho de tiro, logo a cabeça de Sam saiu do buraco, e com seu humor contagiante disse:
-Parece que o garoto presta para algo afinal... Você tá legal Sophia?
-Tô sim, valeu... Ei! Desde quando você tá aí?
-Uns 5 minutos, por que? A propósito, que sala lekaaal - Pude notar seus olhos brilharem...
-Nada, não... Você está bem David-san?
-Aham, olha só isso! O cara tem um chip no pescoço!
-Deixe-me ver... Ah, estes chips dão descargas elétricas se a pessoa não fizer algo certo...
-Cruel... Mas um ótimo método de educação! Deviam implantar nas escolas! -Óbvio que Sam estava zoando, mas a cara que o David fez foi engraçado!
-Você deve ser descendente direta de Hitler! Ou então a reencarnação de Satã! -Ela não gostou...
-E você ô projeto de pulga detetive? Você faz algo além de jogar videogame?
-Ok, ok vocês dois... Vamos voltar, e levar nosso amigo junto, mas primeiro... -Tirei meu canivete do exército americano e retirei o chip, tiveram que amordaçar o cara, pois ele gritou muito...
Ao voltar para o colégio, Daniel nos esperava, levamos nosso ilustre Homem das neves até o quarto, amarrando-o na cadeira. Quando Osaki-kun chegou, ele agiu de forma estranha...
-Ao meu ver esse quarto nem é mais meu né? -Ele subiu no beliche e começou a ler um livro qualquer
-Bem, de onde você vem amigo? -David tentava interrogar o homem, mas nada até agora...
Abri o armário do Daniel, peguei uma das seringas contendo morfina e injetei nele, o cara apagou na hora. Achei mais prudente deixá-lo descansando, antes de prosseguir, é melhor deixar ele calminho, pra que não quebre o pescoço do David... Saímos do quarto, deixando David e Osaki (Chamado de O,saco pela Nathy..) sozinhos...
-Aquele garoto me tira do sério! -Sam estava irritada, ainda bem que tenho alguns chocolates no armário...
-Qual deles?
-Sinceramente? Os dois! Aquela pulga metida a detetive, e o carro alegórico humano!
-Gostei dos apelidos Sam... -Daniel estava incomodado, eu diria mais preocupado com a Lívia...
-Acho que nós já vamos indo, se cuida Dani-kun!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sophia Blood

avatar

Mensagens : 1558
Pontos : 1835
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 20
Localização : Em minha casa, no pc o dia inteiro =.='

MensagemAssunto: Re: Fanfuck: Highschool Dangerous   Sab Nov 24, 2012 7:11 pm

Capítulo 13
Intervalo Light (não é o Yagami!)


Em mais um dia nem um pouco normal, do Imperial Institute Of Estudies, tudo corria normalmente, até um certo alguém sair de fininho com um grupo de pessoas...
-Podemos ir numa loja de games? Podemos?! Podemos?! Podemooooos?! -David pedia desesperadamente. Porém, para sua decepção, alguém já tinha uma ideia melhor
-Eu ouvi sobre um famoso salão aqui perto! Vamos lá? -Bia disse entusiasmada
-Não é uma má ideia, a parte azul do meu cabelo já tá desbotando... -Sam concordou
-E eu preciso dar um jeito nas minhas unhas... -Disse Sophia, todos a olhavam -Que é? Não posso me cuidar não?
-Eí! Dá pra alguém me apoiar?! -O detetive reclamou.
-Er... Não! -Disseram Daniel e Nathy juntos, fazendo todos menos David rirem
-Acho que posso fazer uma boa massagem também... -Disse Nathy -Minhas cóstas doem por causa do colchão!
-Ei você, loirinho que parece travesti, dá pra ao menos você me apoiar? -David pediu, sem admitir a derrota.
-Não sou travesti! Andrógeno talvez... Ah, cala a boca David!
-Desisto! Pro salão então!
Ao chegarem ao salão, eles encontram... Annicka retocando a mecha rosa do cabelo!!!Sophia e Samanta sacaram as armas, Daniel, e Osaki se escondem atrás delas... Já Bia e Nathy se preparam para brigar...
-Ei... EI! -Disse Annicka
-Nos dê um motivo pra não atirar.
-Porque eu já estou morta, e não quero perder meu encontro com o Satã?
-E eu achando que você era estranha Sophia... -Disse Daniel
-Sem comentários Daniel! Ao menos eu não tenho trauma de ursos de pelúcia!
-Ih... briga de casal... -Disse David
-Não me responsabilizo se você encontrar seus sobretudos queimados David! -Disse Sophia extremamente corada
-Casal? Quem disse que são um casal?! Ta na cara que não são! Er... Vou ler uma revista aí no cantinho, tchau!
-Aff, se agarrem logo! Vocês parecem duas crianças! -Disse Lívia descendo as escadas que levavam ao segundo andar (Jura? Achei que era o térreo =O)
-Er... Estão interessados em que serviço? - A atendente chegou correndo, provavelmente temendo que alguém começasse uma briga
-Eu quero fazer as unhas, a Sam quer retocar o azul no cabelo dela, a Nathy quer uma massagem, a Bia uma esfoliação, o Nekiba uma depilação, O Osaki hidratação e... Acho que é isso...
-Certo, por aqui, por favor. -Disse levando-os à próxima sala.
-Sophia-san? -Sam chamou sussurrando.
-Que foi Sam? -Disse Sophia no mesmo tom de voz
-Também ta pensando em aprontar alguma coisa? -A garota perguntou, tentando conter um pequeno sorriso.
-Eu? Imagina! Quem seria eu para aprontar algo! -Disse Sophia rindo
-Ei! Esqueceram de mim!! -Disse Daniel
-E você, o que vai querer? -Disse a atendente
-Cortar o cabelo... Acho que é só...
-Ok... Escolha sua vítima e tire a atendente de circulação. -Após falar, Sam lhe entregou uma seringa contendo sonífero.
-Eu fico com o Daniel e o David, como o David só está sentado, vai ser mais fácil! -Sophia tinha uma expressão maldosa...
-Ok, eu cuido do Osaki-kun... Divirta-se!
-Igualmente! -E assim, as duas saíram para "brincar"
Sophia se dirigiu primeiramente a David, que havia cochilado lendo uma revista "Capricho", ela tinha um frasco e 600 ml de água oxigenada, posicionou o frasco acima da cabeça de David, e o virou de uma só vez!
-Uh? Sophia-san? -David acordava lentamente. -Sinto que algo nada agradável aconteceu... Estranho, não acha? -Disse espreguiçando-se.
-Totalmente! Já se viu no espelho hoje? -Disse Sophia saindo segurando-se para não rir
-Uh? Garota maluca... -David levantou-se e notou que algumas pessoas o olhavam de uma maneira diferente, resolveu averiguar. aproximou-se de um espelho e... bem...
-KYAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHH! VALDERCLYDSON! -Gritou entrando em desespero. O sobretudo havia desbotado, junto com seu cabelo. -Por quê?!!! Por que TODOS os meus sobretudos morrem tão rápido?!!!!!!
Do outro lado do salão, Sam estava planejando como "brincar" com Osaki
Osaki estava de costas para o espelho, sentado na cadeira lendo uma revista. Em seguida sentiu uma picada no pescoço.
-Nee... boa noite Osaki-chan. -Sam dizia guardando a seringa onde outrora havia sonífero.
Novamente, focando-se em Sophia, que aproximou-se cuidadosamente de Daniel, que usava uma máscara para cobrir os olhos, caso caísse algum fio de cabelo no rosto...
-O que quer Sophia-san? -Disse Daniel
-Só falar algo com você -Sophia espetou a seringa, fazendo-o apagar -Ouuu, podemos fazer algo divertido!
Osaki acordava aos poucos, com um péssimo pressentimento.
-Nhá, kawaii~* -Sam disse contendo o riso.
-M-meu Deus... -Disse o loiro, ou melhor, ex-loiro entrando em estado de choque.
-Eu particularmente prefiro você loiro com uma mecha azul... -A morena disse contendo o riso.
-Sam, será que você pode me explicar... o motivo do meu cabelo estar rosa? E ainda por cima com cachinhos e lacinhos?!
-Ei, não reclama! Prefiria que eu raspasse seu cabelo, é?
-Não! Tudo menos isso!!!
Sophia estava com uma tesoura na mão esquerda, e uma chapinha na mão direita
-Perfect ~* -Disse a morena abrindo um largo sorriso
-Hmmm... S-Sophia? -Daniel acorda e olha para o seu reflexo -V-V-Você... N-Não fez isso... Fez?
-Eu? Fiz sim por quê?
-EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ FEZ DUAS CHUQUINHAS E AINDA POR CIMA PINTOU ELAS DE VERDE FLUORECENTE!!!!!!!!!!!!
Quando todos terminaram seus afazeres, se reuniram no Hall de entrada... Sophia e Samanta seguravam o riso, enquanto os outros se deitavam naqueles que foram zoados!
-Meu Kami-sama... Vocês se assumiram e nem me contáram?!!! -Nathy começou a rir loucamente
-Cara... Se queriam assumir a relação, não precisavam fazer isso! Era só dizer! -Disse Nekiba, segurando-se para não rir
-Eu só não imaginava que o David-san fazia parte disso também! Meu Zeus, Dai-me paciência! Mal conhece a pessoa e já faz isso!
-B-Bia! Nós não somos gays! -Disse Osaki
-Você não é o maior exemplo de masculinidade Osaki... -Nathy debochava
-Er... Se serve de consolo, eu te acharia bonito se você fosse uma garota... -David disse, abraçando o sobretudo desbotado.
-Cala a boca Pulga albina! -Disse Daniel - Sophia! EU MATO VOCÊ!
-Tenta pra ver, querido ~*
-Vai morrer tentando, Xuxinha... -Sam provocou.
-Hahahaha, xuxinha!
-Booom, vamos comprar algumas perucas pra vocês... Depois voltamos pra escola!-Disse Sophia
-Acho que eu dispenso... Fiquei biito assim! -David falou.
-Eeeehhh?! -Disseram Sophia e Sam ao mesmo tempo
-Tááá, peguem uma tintura castanho-escura pra mim... -Respondeu o detetive a contra-gosto.
-Trapaceiro! -Sophia pega um balde de tinta roxa e joga na direção de David, acertando-o em cheio!
-PORQUÊ FEZ ISSO?!
-Porque é lekal - Disse Sophia com um sorriso fofo no rosto
-Quando eu resolver o caso pelo qual me contratou juro que fujo para o mais longe de vocês que for possível!
-Nhaaa, David-san! Eu te I Love You! Não faz isso! -Sophia simulou um choro
-EI! Eu tô aqui sabia! -Disse Daniel
-Nha, eu posso dividir vocês... -Disse Sophia, logo começando a rir
-Ai, ai... Sophia, divida o David comigo também!!! -Gritou Sam - Brincadeira, eu quero o Osa-chan mesmo!
-Hahahah, só falta a Sophia agarrar o Daniel agora! -Disse Nekiba
Depois de comprarmos perucas para os "pombinhos" Sam teve a ideia de ir até uma sorveteria, e depois fomos à loja de games eletrônicos, pro David não ficar deprimido... E pra finalizar, passamos em uma livraria, pois eu queria comprar um livro em especial...


Capítulo 14

Nunca pensei que eu gostaria de ser mandado a um internato... Mas, para fugir da minha irmã louca, faço qualquer coisa... Ah! Meu nome é Thiago Kunõ, tenho 16 anos, e nasci nos Estados Unidos da América, já visitei quase todos os países do mundo, meu pai é arqueólogo, então viajamos muito. Recentemente, minhã irmã Samara, ficou obcecada por mim, digo no sentido malicioso sim! Sabem o que é ter que dormir com a porta trancada com cinco cadeados por medo de ser estuprado? Acredite, é horrível...
Meu pai, sabendo da situação, me mandou a um internato no Japão, pois ele era mundialmente famoso, embora eu tenha muito medo desse lugar... É completamente deserto, e tem cheiro de... Morte.
Eu andava por um dos muitos corredores vazios, quando vejo uma garota de cabelos negros, ela era... Baixinha, ela olhou em minha direção, seus olhos eram vermelhos como os meus, sempre me perguntei por que nasci com esses olhos, ei, a garota está correndo pra cá!
-Eu te mato seu desgraçadooooooooo!!! -Ela trombou em mim, me fazendo cair. Ela não me enxerga não?! -Foi mal! Você está bem!? -Ela veio me ajudar, mas ao ver meus olhos, me deixou cair de novo...
-Argh! Acho que sim... Mas não tenho certeza.
-Quem é você? O que faz aqui?! -Impressão minha ou aquilo é uma katana na cintura dela?! Ai meu Deus, eu vou ser morto!!!
-M-Meu n-nome é Thiago Kunõ, eu sou um aluno novo! -Fechei meu olhos por um instante, quando os abri novamente, ele estava olhando para mim.
-Meu nome é Sophia Blood. Achei que não haveria mais alunos novos...
-Achei você! Baka! -Uma outra garota, um pouco mais alta que Sophia, chegou e lhe deu um tapa no pescoço, ambas tinham um palidez um tanto doentia, a segunda possuía cabelos negros, e azul marinho. Vestia roupas de couro, e carregava duas pistolas na cintura.
-Ei! Tá olhando o quê?
-Calma Sam! Ele é um aluno novo...
-Sam! Sophia! O que estão fazendo paradas aí?! Temos que achar aquele assassino logo! -Um garoto vestido com um sobretudo verde-limão aproximou-se das duas -Aaaaah! Outra pessoa com olhos bizarramente vermelhos!
-David, menos... Bem menos! -Disse Sophia
-Mas enfim, o que está acontecendo aqui?! Por que vocês carregam armas?! -Agora sim eu estava com medo!
-Neee, Thiago-kun. Eu não tenho tempo para explicar, apenas esconda-se e espere eu chamá-lo! Entendeu? As coisas estão feias... -Sophia logo desembainhou sua katana.
-Onde ele está? -Sam sacou suas armas, e ficou atenta
-Sã, shino seinaru ken! (vamos lá, espada sagrada da morte)! -Sophia se levantou e saiu correndo de uma forma quase sobre-humana. Eu pude sentir uma aura assassina no local.
-Me espera, Sophia-san! -Sam saiu correndo quase na mesma velocidade, e David me ajudou a encontrar um local seguro para que eu me escondesse.
Logo mais à noite, Sophia e Sam voltaram, Sophia carregava em suas costas, um garoto de cabelos ruivos, ele estava desacordado, provavelmente devido ao corte em seu tórax. Com certeza feita pela katana de Sophia...
-Thiago-san, este é Daniel Lovering, ele é meu meio-irmão... -Dissa Sophia, deitando o garoto em uma cama, estávamos escondidos em um andar subterrâneo do colégio. Uma espécie de refúgio militar antigo...
-Nem sinal da Lívia Sophia... Osaki ainda não voltou? -Sam serviu-se com um líquido rosa, devia ser chá.
-Tô aqui atrás! -Um garoto loiro, que possuía uma mecha azul turquesa, chegou no quarto, ele estava sujo de graxa, e tinha uma cicatriz no braço esquerdo, recém curada.
-E aí? Algum progresso? -Perguntou Sophia
-Não, ainda não descobri o problema daquela maldita máquina... Ah, você encontrou o Daniel-kun...
-O que diabos está acontecendo aqui?! -Perguntou Thiago, ele certamente se metera em uma grande confusão, e não sabia-se se podia confiar naquelas pessoas...
-Acho melhor eu relatar tudo, com um pequeno Flashback, não? -Disse David.
-----
“Distribuímos cartazes com as fotos do Daniel e da Lívia por toda a cidade, Sophia estava a ponto de explodir, nunca pensei que veria ela... Com raiva de alguém!
Depois de fazer isso, fomos almoçar em um restaurante perto de onde estávamos, Sophia não comeu nada, apenas bebeu uns 5 copos de suco de uva concentrado, não sei como a pele dela não é roxa, ela bebe muito suco!”
Após vários dias, nenhum sinal de Daniel... Isso estava deixando Sophia cada vez mais impaciente, o que de certa forma, me afetava também...
Certo, certo. Sei que fui contratado para encontrar a irmã deles, mas todos aqueles corpos, e o sumiço repentino do Daniel me deixou preocupado, talvez eu não seja qualificado o suficiente para este caso...
-David! -Fui sacudido por Sophia, ela estava falando algo, e percebeu que eu estava aéreo...
-O-Oi? O que dizia Sophia-chan?
-Baka! Eu estava dizendo que talvez eu saiba quem está por trás disso tudo!
-Mesmo?! -Meus olhos brilharam, era a primeira boa notícia há semanas!
-É, coisa que você não se presta pra saber, né? -A Samanta, embora não parecesse, estava tão angustiada quanto nós, como melhor amiga da Sophia, tenho certeza que ela entende o que Sophia está sentindo...
-Diga-nos Sophia-san! Quem você acha que é?! -Bia, Nathy, Nekiba e até mesmo Osaki estavam inquietos...
-Bem, há um bom tempo... Isso uns bons 7 anos, eu ouvi uma conversa do pai deles (Dani e Lívy). Ele com certeza estava sendo ameaçado. Pelo que Secille, ele foi assassinado há um tempo, então eu comecei a juntar os fatos quando a Lívia foi sequestrada...
-Entendo - Realmente, agora tudo fazia sentido! Alguém certamente quer atingir a família Lovering, mas quem seria capaz se algo tão... Terrível? -Você disse que talvez saiba quem fez isso, quem pode ter matado seu pai, Sophia-chan? -Eu realmente queria ser útil...
-Eu li algumas cartas endereçadas a ele, eram de um mafioso chamado Tezcatlipoca ...
-Tezca o quê?! -Eu disse, por que mafiosos só tem nomes difíceis? Por quê?!
- Tezcatlipoca ô inteligente... Mas, qual a origem desse nome hein?! -Bia perguntava
-É asteca, significa algo como serpente de vento... Não sei.
-É cada nome que aparece... Mas ainda acho Abdul-Azim mais lekal! -Disse Nathy
-Nathy-chan, isso não é meio inapropriado para se dizer neste momento? -Perguntou Nekiba, entendo que todos estão tensos, mas até que uma piada relaxa o clima...
-Capaz, às vezes é bom descontrair um pouco, Nekiba-san! -Sophia concordava, acho que no fundo ela não é tão ruim assim...
À noite, ouvimos um barulho de explosão, quando fomos averiguar, a escola estava sendo explodida completamente! Por sorte, Sophia nos mostrou um refúgio subterrâneo, perto do ginásio, era incrível como ela conhecia cada parte do internato...
No outro dia, Sophia, Sam e eu, fomos fazer uma ronda, nós nos separamos, eu vaguei perto dos escombros do prédio explodido. Haviam alguns corpos de alunos, eu ajudei os sobreviventes a retirá-los, por sorte eu não sujei meu sobretudo verde-limão! Porém, eu ouvi a Sophia gritar, imediatamente saí correndo, quando cheguei onde ela estava, Sam e ela estavam perto de um garoto com a mesma descrição física da Sophia! Eu poderia jurar que eles são irmão gêmeos!
-----
-Aaaaah, então vocês me encontraram... -Finalmente entendi parte da confusão, mas algo me incomoda... Por que eu e Sophia somos tão parecidos assim? E por que eu tô vendo um fantasma perto da Sam?!!


[Notas das autoras: A partir deste episódio, toda a fic será reescrita, então pode demorar um pouquinho. Não nos matem ^^']
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Fanfuck: Highschool Dangerous
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» High School DxD Episódio 06
» High School DxD Episódio 02

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
FanFuck :: Fanfictions :: Fanfucks-
Ir para: