InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Compartilhe | 
 

 Devil Hunter +16

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Leon Lockhart

avatar

Mensagens : 1126
Pontos : 1111
Data de inscrição : 21/11/2011
Idade : 23
Localização : Num poço, assistindo TV com a Sadako '-'

MensagemAssunto: Devil Hunter +16   Ter Jun 18, 2013 7:07 pm

Finalmente comecei a postar minha primeira fic, com alguns personagens originais, espero que alguem leia... cry

Gênero: Ação, aventura, fantasia, echii, e um pouco de mistério

Sinopse: A história gira em torno de Leon Lockhart, que após ser salvo por Reiko e Laura, acaba por se aventurar em um mundo que poucos conheciam, o dos "Caçadores", cheio de demonios e lendas urbanas... Leon acaba por se tornar um Devil Hunter.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Leon Lockhart

avatar

Mensagens : 1126
Pontos : 1111
Data de inscrição : 21/11/2011
Idade : 23
Localização : Num poço, assistindo TV com a Sadako '-'

MensagemAssunto: Re: Devil Hunter +16   Ter Jun 18, 2013 7:15 pm

Nota de inicio: Minha primeira Fic, espero que gostem. Smile


Capítulo 1 – Um Despertar Sem Lembranças
 
Em meio a uma rua, dentro de uma pequena cratera, se encontrava um rapaz praticamente desacordado caído no chão, e parada ao seu lado havia uma garota de lisos cabelos negros. O cenário em volta estava em chamas, e á uns sete metros da cratera havia um local onde costumava estar construída uma casa de dois andares, mas agora só havia uma pilha de escombros pegando fogo.
O garoto estava com várias feridas pelo corpo, e estava banhado em seu próprio sangue. O líquido carmesim escorria dos machucados, descendo por todo o seu corpo, formando uma poça de cor rubra no chão. Sua roupa estava parcialmente queimada e sua camisa estava parcialmente chamuscada.
-É ele mesmo? – Disse a garota com tom de dúvida.
-Sim, é ele mesmo... – Uma silhueta apareceu atrás da garota apontando para o garoto deitado no chão, o garoto só conseguiu ver que se tratava de outra garota, dessa vez uma loira, pois sua visão estava muito turva para perceber demais detalhes. A figura misteriosa possuía uma voz feminina, confirmando as expectativas do garoto. – Posso sentir o poder percorrer cada centímetro do corpo dele.
O garoto olhou em direção à garota e para aquela presença misteriosa, e encarou a garota bem nos olhos.
-Q... Quem... São... Vo... – Pronunciou o garoto com quase nenhuma força restante, mas antes que conseguisse terminar de falar, caiu inconsciente.
O garoto despertou em um quarto branco, com duas camas, uma de casal e outra de solteiro, na qual estava deitado, também havia dois roupeiros, tendo um deles algumas gavetas, na parede havia um quadro com o retrato de um ninja junto de um samurai.
-Hm?! Que lugar é esse? E como vim parar aqui? – Se perguntava o garoto enquanto olhava em volta, confuso por não saber onde estava.
A garota morena estava sentada na outra cama, aparentemente estava dormindo, como se tivesse montado guarda cuidando do garoto, mas acabou despertando ao ouvir os questionamentos do rapaz.
-Ah... Você acordou. – Diz a garota com um tom de indiferença na voz, enquanto erguia a cabeça para olhar o recém-despertado.
-Onde estou? – Perguntou o garoto sem a menor cerimônia.
-Está a salvo agora, fique deitado ou abrirá o ferimento. – Responde a garota, novamente sem muita expressividade na voz.
O garoto sente uma dor na região do abdome, ao olhar percebeu uma bandagem que passava pela barriga, costas e por cima do seu ombro direito.
-E quem é você, afinal? – Pergunta o garoto.
-Que educadinho que você é, heim? – Fala a garota com um tom sarcástico. – Meu nome é Reiko Aka. – Diz a garota em resposta à pergunta do curioso.
Reiko era uma japonesa de longos cabelos negros e olhos vermelhos [carmesim escorria dos cortes, descendo por todo o seu corpo, formando uma poça de cor rubra no chNN/A: Aka significa vermelho em japonês, me corrijam se estiver errado], tinha aproximadamente 1,63 de altura, corpo proporcional á altura, estava com os pés descalços, vestia um quimono floral vermelho e segurava, escondido sob ele uma espada pequena, comprovando que passara a ultima noite interia montando guarda.
-Como ele está, Reiko? – Perguntou uma voz feminina com tonalidade suave, vinda do lado de fora do quarto.
-Ele acordou, Laura! – Gritou Reiko em resposta.
-Mesmo?! – O que se ouve a seguir são passos rápidos, vindo em direção ao quarto. Laura entra no quarto correndo, trazia em suas mãos uma bandeja contendo ataduras e panos úmidos.
-Que bom que você acordou! Você está bem? Como se sente? – Pergunta Laura com tom de muita preocupação.
-Estou bem. Sinto-me exausto, como se tivesse feito um grande esforço físico, mas não lembro o porquê. E estou com uma dor bem aqui... – Responde o garoto enquanto levava a mão á barriga. – A ultima coisa que lembro é de estar voltando para casa com minha namorada e o irmão dela, e então ver uma estrela cadente roxa caindo por perto. E por falar neles, onde estão?
-E eles estão bem, deram uma saidinha até farmácia enquanto você dormia. – Foi a resposta de Laura, enquanto recebia de Reiko um olhar de visível desaprovação á sua resposta.
-Como sou mal educada... Nem me apresentei. – Falou Laura, numa clara tentativa de mudar de assunto. – Eu sou Laura Merlin, muito prazer.
Laura tinha uma aparência europeia, cabelos dourados amarrados por fitas vermelhas, formando duas marias-chiquinhas, cada uma com uma mecha rosa e outra verde, olhos verdes que mais pareciam duas esmeraldas, devido a sua cor viva. Possuía cerca de 1,70 de altura, corpo escultural e seios fartos, usava uma minissaia de estudante xadrez com vermelho, All Star preto de cano longo e uma camiseta preta.
-Muito prazer, eu sou Leon Lockhart. – Respondeu ele.
Leon possuía cabelo loiro escuro curto, olhos castanhos, 1,65 de altura, magro de médio porte, não se destacava dos demais garotos da sua idade. Usava uma calça jeans, da cintura para baixo estava coberto por um lençol azul claro, as únicas coisas que o cobriam da cintura para cima eram as ataduras que cobriam a maior parte do tórax, abdômen e das costas.
-Acho que já conheceu a Reiko, né?
-Sim. – Responde Reiko, interrompendo a conversa. – É melhor o deixarmos descansar, não acha?
-É, tem razão, vamos. Até mais, Leon-san! – Diz Laura, enquanto as duas se retiravam do quarto.
-Até... – Diz Leon, ainda confuso com o que acontecera.
Ambas se dirigiram para a cozinha. Já lá, Reiko com um ar de preocupação que se opunha a sua indiferença de alguns momentos atrás, indaga Laura:
-Quando pretende contar a ele?
-A menos que ele se lembre do incidente, não precisará saber... – Responde Laura com um tom sério, quase que frio na voz. – Por quê? Por acaso está preocupada com ele? – Questiona Laura com um sorriso de malícia.
-Não é que eu me preocupe com ele... – Responde Reiko, tentando negar. – É que foi dele a vida que acabou de se tornar um inferno. – Não é nada disso que você está pensando. – Diz a japonesa, cruzando os braços, negando novamente.
__________________________________________________________
 
Leon estava dormindo... Em seu sonho, recebeu uma visita. Uma mulher pálida de longuíssimas madeixas negras que arrastavam no chão, aparentava ter quase 25 anos de idade. Somente eles eram visíveis em meio ao breu absoluto.
-Eu lhe mostrarei oque realmente aconteceu. Ó pobre criança... – Disse a mulher á Leon, enquanto estendia a mão em direção a ele, que por sua vez, agarrou a mão dela sem hesitação.





Nota final: Esse foi o primeiro capítulo, acho que ficou confuso... mas todas as respostas serão respondidas, ou não Good Job2
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Leon Lockhart

avatar

Mensagens : 1126
Pontos : 1111
Data de inscrição : 21/11/2011
Idade : 23
Localização : Num poço, assistindo TV com a Sadako '-'

MensagemAssunto: Re: Devil Hunter +16   Sab Jun 29, 2013 11:30 pm

Nota de inicio: finalmente um pouco de ação Twisted Evil 





Capitulo 2 – Visitante Indesejável

Enquanto Leon dormia no quarto para recuperar suas forças, Laura e Reiko continuavam sua conversa na cozinha:
-Por acaso está preocupada com ele? – Questiona Laura com um sorriso de malícia.
-Não é que eu me preocupe com ele... – Responde Reiko, tentando negar. – É que foi dele a vida que acabou de se tornar um inferno. – Não é nada disso que você está pensando. – Diz a japonesa, cruzando os braços, negando novamente.
-Reiko... Por acaso você está gostando dele? – Pergunta Laura com um ar de surpresa.
-Claro que não! – Exclama Reiko, como se tivesse se ofendido com a pergunta da loira. – Posso ter cuidado dele enquanto o mesmo estava inconsciente, mas não sou desse tipo de mulher que cai encima do primeiro que enxerga!
-Xiiiuuu... Vai acabar acordando ele com esses seus gritos de histeria. – Sussurra Laura para a japonesa.
-Quem é histérica aqui é você, sua bruxa de 157 anos! [N/A: sim, essa é a idade verdadeira de Laura] – Reiko grita em resposta.
-Ora sua fedelha nanica! [N/A: Reiko e Leon têm 18 anos cada, mas em comparação aos 157 anos de Laura são crianças] – Reage Laura. A essa altura ambas já sacavam as armas.
-Acalmem-se, garotas, ou ele vai acordar... E devido a sua atual situação, ele pode se tornar um obstáculo para mim. – A voz vem da janela. As duas olham para o lado e enxergam um homem agachado encima da janela (como se fosse um pássaro num fio de luz). – Será bem mais fácil de matá-lo enquanto está adormecido. – O sujeito deixou escapar uma gargalhada sádica, devido a sua empolgação.
-Quem é você? – Perguntam as duas, já em guarda.
-Eu sou Hayabusa... Aquele que matará todos vocês. – Surgiu um sorriso psicopata no rosto de Hayabusa. – E ganharei posse “daquele objeto”. – Apontava na direção ao quarto onde Leon repousava.
-Nem a pau! – Exclamava Reiko, enquanto desembainhava a sua espada, assumindo uma posição ofensiva.
Hayabusa era um japonês, cabelos, curtos e espetados, de cor negra. Olhos totalmente pretos, até mesmo na região que deveria ser branca, 1,80 de altura, um pouco magro para sua altura, usava uma pequena jaqueta de couro colada aberta, deixando seu peito a mostra, pois não usava camiseta, também usada uma calça de couro preta colada, e sapatos pretos de couro.
Ele salta em direção as duas, na tentativa de acertar um soco diretamente em Reiko, mas bate em algo que parecia uma barreira invisível, que separava ele de suas presas.
-INVISIBLE WALL!* - Laura proferiu essas palavras enquanto estendia a mão na direção de Hayabusa, reforçando sua barreira, que agora se tornara visível e reflexiva.
Hayabusa começa a socar a parede com toda a força. Com o impacto de seus golpes a parede começa a rachar, até que se quebra em vários estilhaços, como se fosse feita de vidro.
-Minha vez! – Grita Hayabusa, estendendo os braços para frente, lançando uma saraivada de penas negras em direção as duas garotas, causando cortes no corpo de ambas. E também causando cortes nas suas roupas, fazendo com que o quimono de Reiko não passasse da metade da coxa, deixando parte de seu quadril exposto. E deixando os seios e o quadril de Laura a mostra (sim, fanservice).
-Ele é bem forte. – Diz Laura, ofegando devido à dor causada pelos cortes.
-Hora de esquentar as coisas aqui, SONIC FIRE STORM!** - Exclama Reiko, no mesmo momento a lamina de sua espada fica envolta em chamas.
A japonesa partiu para o ataque com sua espada tomada pelas chamas. Seus golpes eram velozes, mas Hayabusa conseguia desviar dos mesmos.
-Nesse ritmo não poderei desviar por muito tempo. – Pensou Hayabusa, nesse mesmo instante Reiko acertou dois golpes de raspão, um no rosto e outros no peito exposto dele, pelos quais saíram dois filetes de sangue. Mas Hayabusa agarrou a cabeça de Reiko com uma das mãos, girou o corpo para pegar impulso e arremessou-a, fazendo com que ela atravessasse a parede do outro lado do cômodo.
Reiko se recuperou do contra ataque do adversário, e voltou a se por ao lado de Laura, ainda que com dificuldade de se manter em pé.
-Pensei que vocês fossem um desafio maior, vocês três morrerão aqui e agora! – Pronunciou Hayabusa, como se desse a luta por encerrada, crente de que vencera.
-Não tenha tanta certeza disso! – Os três ficaram surpresos com essa voz, ao olharem para o lado enxergaram Leon parado na porta da cozinha, com uma tesoura, usada anteriormente para fazer os curativos no mesmo, em mãos.
Notou-se que os olhos de Leon emanavam um brilho roxo. De repente a tesoura se transformou em um longo bastão.
Leon pula em direção a Hayabusa e começa uma sequência de golpes com o bastão. Os golpes eram mais velozes do que os de Reiko, mas inicialmente Hayabusa conseguia desviar dos mesmos, entretanto cada vez ficava mais difícil de evitar o bastão.
“Como é possível ele ser tão ágil?! Nesse ritmo eu vou acabar...”, pensava Hayabusa confuso sobre Leon, quando é interrompido por um golpe do bastão na barriga.
-Mas como?! – Gritou Reiko espantada.
-Não pode ser! – Completou Laura ficando boca- aberta com a cena.
Leon deu um golpe com o bastão no rosto do adversário, em seguida ergueu o bastão com um giro, acertando, de baixo pra cima, o queixo de Hayabusa. Após isso o bastão criou uma ponta de metal, assumindo a forma de uma lança. E com seu próximo ataque, atravessou o coração do demônio de uma vez só.
Hayabusa fica em estado de choque, e entra em combustão espontânea, a partir do ponto onde a lança o atravessou, até sobrar apenas os seus ossos.
-O quê acabou de acontecer? – Perguntou Reiko, sem entender o que acabara de ver.
-Não sei direito, mas deve ter ligação com o cristal... – Laura tentava responder a pergunta da japonesa.
As garotas olhavam confusas para Leon, que estava de costas para elas, parado com os ossos carbonizados, que antes pertenciam ao inimigo, em frente aos seus pés.
-Mas uma coisa é certa, esse tal de Leon não é um ser humano normal. – Laura completava sua resposta.
Leon olha para trás, encarando as duas moças e diz:
-Eu lembrei oque aconteceu...



*Invisible Wall – Música da banda japonesa de Visual Kei “The Gazette”
**Sonic Fire Storm – Álbum da banda de Speed Metal “Dragonforce”, possui uma sonoridade acelerada (característica do golpe de Reiko).





Nota final: essa foi a primeira luta, espero que tenha ficado boa Razz 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Leon Lockhart

avatar

Mensagens : 1126
Pontos : 1111
Data de inscrição : 21/11/2011
Idade : 23
Localização : Num poço, assistindo TV com a Sadako '-'

MensagemAssunto: Re: Devil Hunter +16   Qui Jul 18, 2013 11:24 pm

Nota inicial: o capitulo fico maior do que o esperado, então dividi em duas partes...

Capítulo 3 – Nem Sempre Lembrar o Passado é Bom – Parte 1


Meu nome é Leon Lockhart, tenho 17 anos, ou melhor, tinha, já que hoje eu completo 18 anos. Moro com meus pais e meu irmão atualmente, agora me preparo para ir encontrar-me com meus amigos, pois me disseram que tinham uma surpresa para mim, como se não fosse obvio que se tratava de uma comemoração ao meu aniversário.
-Leon, venha aqui um segundo. – A voz de mulher que acaba de me chamar pertence á minha mãe, Agata Lockhart.
-O que foi?
-Vai sair com a Yui e os outros? Lembre-se que à noite vamos fazer uma festinha para você. – Ela me advertia, pois detestava quando eu me atrasava, o que acontecia com frequência.
-Sim.
-Omedeto, oni-san! – Meu irmão, Daniel, veio correndo para me abraçar, ele era bem enérgico, afinal iria completar 7 anos em alguns meses.
-Feliz aniversário, Leon. – Meu pai, Harry Lockhart, sempre foi bem sério.
-Valeu. – Respondi, enquanto saia pela porta.
-Leon, espere, tome. – Minha mãe me entregou uma caixa pequena, provavelmente de joias, ou algo do gênero, era coberta com um veludo de cor roxa, com detalhes de caveiras feitas de ouro puro. – Nos entregaram essa caixa quando você era recém-nascido, e disseram para te entregar quando completasse 18 anos. E temos que conversar quando você voltar, ok? – Ela me explicava, mas ao sugerir a futura conversa parecia hesitante.
-Tudo bem. – Peguei a caixa e sai. – Até mais.

------------------------------------------------------------------

Enquanto eu me dirigia ao centro da cidade, verifiquei o conteúdo da caixa, vi que se tratava de um bracelete, o visual lembrava muito um item de RPG, e possui uma inscrição estranha que não consegui ler, pois parecia outro alfabeto. Coloquei em meu pulso e me aprecei em chegar logo no local, pois eu estava quase atrasado, para variar.

-------------------------------------------------------------------

-Parabéns, feliz aniversário, Leon-kun! – Ray, meu melhor amigo, veio me abraçando sem aviso prévio assim que me viu. – Tudo de bom para você. Qualquer coisa sabe que sempre poderá contar comigo, meu amigo! – Ele me encarou de um jeito no mínimo sugestivo, me fazendo ficar vermelho de vergonha. Ele era mais energético que meu irmão, isso aos 17 anos.
-MOOOE! – As três garotas que ali se encontravam estavam com os olhos brilhando ao ver a cena.
- Não é nada disso! – Eu não sabia onde enfiar a cara, de tanta vergonha. – Até você, Yui!?
- Desculpa amor, omedeto! – Esqueci-me de mencionar, Yui é minha namorada, já faz três anos. – Felicidades. – Me abraçou e me deu um beijo. – Vai me castigar por isso? – Ela perguntou com uma expressão de medo e um biquinho, que somado ao fato de ela ser uma japonesa de cabelos castanhos, resultava em uma feição dócil, inocente e frágil, que se tornava sua maior arma, claro que só era usada (e surtia um efeito monstruoso) em mim.
-Você sabe que não consigo ficar brabo com você quando faz essa cara... – Perdi novamente.
-Weee! Três anos e nenhuma briga! – Dizia ela, bem feliz.
-Ok. Podem parar com essa melação toda. – Esse poço de romantismo se chama Saito, irmão da Yui, e por consequência, meu cunhado, ele é o extremo oposto de Ray. – E ai Leon, feliz aniversário.
-Valeu. – O que se seguiu foi um aperto de mãos.
-Feliz aniversário, Leon-kun! – Falaram Sherryl e Kaoru, ao mesmo tempo. Sherryl, minha melhor amiga, com seu eterno estilo gótica, em contraste com sua natureza alegre. Kaoru, prima de Yui, e também, sua melhor amiga.
Comemos e bebemos com extrema felicidade, até que...
-Yui, tenho que te dizer uma coisa. – Disse eu, criando um clima de suspense, e chamando a atenção de todos para nós.
-O que houve? – Perguntou ela, preocupada, pois sabia que não era do meu feitio ficar tão sério em momentos de descontração.
-Nós estamos namorando há três anos. E tem sido ótimo, você é uma garota incrível, nunca fui tão feliz antes quanto sou agora ao seu lado. Mas eu não quero mais isso...
Todos ficaram chocados ao ouvir tal declaração.
-O QUE!?!? – Gritaram Sherryl e Kaoru com espanto.
-Isso não se faz, Leon. – Disse Ray, enquanto cuspia o guaraná que estava tomando (único de menor).
-Maldito! Eu sempre soube que você não prestava! Vou acabar com a sua raça! – Recebi até ameaça de morte da parte do Saito.
Á essa altura, a expressão de choque já tinha dado lugar a lágrimas de tristeza e desespero no rosto de Yui, que parecia arrasada.
-Ei, ei, ei, calma, eu ainda não terminei. – Tentei acalmar todos. – Yui, eu não quero mais namorar com você... – Me ajoelhei a seus pés. – Quero que você seja minha noiva. Aceita casar-se comigo? – Completei, retirando uma caixinha com um par de alianças do bolso.
Yui votou a ficar chocada, ainda tentava entender o que acabara de ouvir de mim. E não foi a única, todos ficaram ainda mais surpresos do que antes.
-Claro que aceito!!! – Ela pulou em cima de mim de repente e acabamos caindo no chão, abraçados. – Leon no Baka! Você me assustou! – Ela chorava de alegria.
-Gomemasai. – Me desculpei.
-Acho que esse saquê quente acabou me afetando. Acabei de ouvi-los concordando em se casar. – Indagou Saito.
-Que nada! Não foi o saquê. – Respondeu Ray. – Eu quero ser o padrinho! – Ele estava bem animado.
- E nós queremos ser as madrinhas! – Gritaram Sherryl e Kaoru.
A partir daquele momento a reunião seguiu com mais animação ainda.

-----------------------------------------------------------------------

Ao anoitecer, Yui, Saito e eu nos dirigimos para minha casa, pois iria acontecer a confraternização em família pelo meu aniversário. E eu queria, mais do que depressa, contar que Yui era oficialmente parte da família.
-Que bracelete legal. Comprou aonde? – Perguntou Yui, enquanto estava abraçada ao meu braço.
-Ganhei dos meus pais de aniversário.
-Que legal. – Ela realmente tinha gostado do objeto. Em seguida, olhou para o céu e ficou impressionada. – Que linda, olhem, uma estrela cadente roxa! – Gritou ela enquanto apontava para o corpo celeste.
Paramos para ver melhor o fenômeno.
-Dizem que se você fizer um pedido ele se realiza. – Disse para minha noiva, enquanto a abraçava por cima dos ombros (sim, ela era menor) por trás.
-Desejo que Leon-kun e eu sejamos felizes no futuro e possamos ficar juntos para sempre. – Pediu Yui, sem a menor hesitação.
-Desejo o mesmo. – Completei, dando um beijo no rosto dela.
-É impressão minha, ou aquela estrela cadente realmente está caindo? – Perguntou Saito.




Nota Final: eu sei, não aconteceu nada de muito interessante, mas na próxima fica bem melhor =)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Leon Lockhart

avatar

Mensagens : 1126
Pontos : 1111
Data de inscrição : 21/11/2011
Idade : 23
Localização : Num poço, assistindo TV com a Sadako '-'

MensagemAssunto: Re: Devil Hunter +16   Seg Jul 22, 2013 7:53 pm

Nota inicial: concluindo o arco das memórias Razz , sentem q é hora da história *abre um livro* Smile 

Capítulo 3 – Nem Sempre Lembrar o Passado é Bom – Parte 2

-É impressão minha, ou aquela estrela cadente realmente está caindo? – Perguntou Saito.
Saito estava certo, a estrela caiu em uma colina próxima a minha casa.
Corremos para ver, afinal... Quantas vezes você tem a chance de ver uma estrela cadente de perto?... Quando chegamos ao local descobrimos que não se tratava de uma estrela, mas sim de um cristal roxo, do tamanho de uma maçã.
-Sugoi!! – Exclamamos Yui e eu ao mesmo tempo.
-Ok. Vamos embora agora. – Sugeriu Saito.
-Não antes de eu, pelo menos, encostar nisso! – Gritei enquanto pulava na cratera que havia se formado pela queda do objeto.
-Cuidado, amor. – Advertiu Yui preocupada.
-Relaxa, sou eu.
-É exatamente esse o motivo de tomar cuidado. – Disse Saito, debochando de mim.
-Vou fingir que não ouvi isso. – Respondi, enquanto minha mão se aproximava do cristal. Ao ser tocado por mim, seu brilho ficou mais intenso, e ele foi, automaticamente, absorvido pelo meu corpo. – Mas o que foi isso? – Fiquei confuso, não entendi o que acabara de acontecer.
Então ouvimos um rugido vindo de atrás de umas árvores á nossa frente. O que se seguiu foi um momento, no mínimo, traumático. Um monstro de aproximadamente 4 metros de altura, tinha três cabeças, uma de leão, uma de bode e outra de cobra, no lugar da cauda, se apoiava sobre quatro patas, e possuía dentes enormes.
-Leon, sai logo daí! – Berrou Saito.
Saito me ajudou a sair do buraco.
-O que é aquilo, oni-san? – Yui questionou Saito.
-Eu não faço ideia.
-É uma quimera! – Respondi.
-Saiam daqui! – Gritou Saito, nos empurrando para longe, ao mesmo tempo em que a quimera começou a correr em nossa direção. – Vem desgraçada. – Ele correu na direção da besta, que o golpeou com a pata, arremessando Saito, de costas, em direção á uma árvore próxima. Um dos galhos atravessou sua barriga. – LEON!... – Ao falar ele cuspiu uma enorme quantidade de sangue. – PROTEJA A YUI A TODO CUSTO! – Ele gritou com todas as forças, e então morreu empalado no galho, o qual impedia de cair no chão.
-ONI-SAN! – Yui gritou em desespero, já chorando.
-Saito, eu prometo que a protegerei! – Aceitei o último pedido que meu cunhado fez em vida.
Continuamos correndo em direção a minha casa. Até que Yui tropeçou. Voltei para ajudá-la, nesse momento a quimera nos alcançou, se preparando para me atacar.
-Não! – Com essas palavras Yui se jogou entre mim e o monstro, me empurrando para o lado, sendo pega pela mordida da fera.
-YUIII! – Gritei em desespero, percebendo que ela também estava chorando pelo mesmo motivo.
-Gomenasai... – Ela começou a falar, percebendo que não havia escapatória. – Eu queria poder me casar com você. – As lágrimas caiam sem parar, tanto as minhas quanto as dela. – Espero que você encontre alguém para ocupar essa vaga. – A mandíbula da criatura se fechou, cortando Yui ao meio. Caí de joelhos com o choque da cena. A parte de cima do seu corpo caiu em minha frente. – Ko...ishi...teru – A vida se esvaiu de seu corpo.
O monstro me atacou de forma similar a usada contra Saito. Coloquei os dois braços na frente, protegendo meu corpo do impacto... O bracelete tomou a forma de um escudo, me livrando da morte. Mas o golpe foi tão forte, que me arremessou próximo a minha casa.
Ao verem a cena, meus pais e meu irmão foram para a janela, enquanto chamavam a policia. A quimera, visando me acertar, cuspiu uma bola de fogo, que para o azar da minha família, errou o alvo, acertando a casa, destruindo ela por completo. O que antes foi minha casa, agora era uma pilha de escombros flamejante.
A quimera veio na minha direção, ela expelia fogo pela boca, queimando tudo em seu caminho, eu estava no meio da rua, as chamas do terreno queimaram parte da minha roupa. A fera tentou me esmagar com uma patada, consegui bloquear com o escudo, mas a força me jogou no chão, abrindo uma cratera embaixo de mim. A batalha estava quase encerrada, já que eu não tinha mais forças para me mexer e estava zonzo para poder enxergar direito.
Quando ele foi dar o ultimo golpe, duas luzes que pareciam chamas dançando no ar o acertaram o que deveria ser a cabeça de leão. A fera recuou, encerrando a luta.
-É ele mesmo? – Ouvi uma voz feminina perguntar em tom de dúvida.

*Flashback off*

----------------------------------------------------------------------

E o resto vocês sabem melhor do que eu. – Explicou Leon para Reiko e Laura. Todos sentados em algumas cadeiras no quarto.
Leon não conseguiu conter as lágrimas.
-A chamas dançantes que você viu deviam ser as espadas da Reiko.
Ao ver as lágrimas caindo do rosto do recém-conhecido, Reiko levantou da cadeira e caminhou até Leon, encostou a testa dele na altura de seu umbigo e passou os braços por atrás da cabeça dele, abraçando-o pela nuca. Leon ficou sem reação, pois não sabia como deveria reagir a este gesto.
-O que foi que eu perdi!? – Laura ficou de boca aberta, pois sabia o quão raro, ou impossível, era ver Reiko demonstrando tanto afeto assim.
-Eu sei o que é perder seus entes queridos... – Explicou Reiko. – O que quer fazer agora?
-Não sei. Não tenho parentes, nem lugar para morar.
-Que tal você continuar morando conosco, eu te treino e você se torna um Devil Hunter junto com a gente? – Sugeriu a japonesa ainda abraçada a ele, com um tom calmo e acolhedor na voz.
-Não tenho mais para onde ir. Não tenho escolha...
-Claro que tem! – Reiko interrompeu o lamento do garoto. Com um tom quase que de choro na voz. – Por mais que as coisas estejam ruins, você sempre terá a escolha de o que fazer. Você está seguro agora. – Reiko apertou mais ainda o abraço.
-Eu aceito. – Leon passou seus braços em torno da cintura de Reiko, abraçando-a, e se sentindo seguro pela primeira vez desde o dia de seu aniversário. – Arigato.



Nota Final: me deu dó da Yui e do Saito, no final quase q mudei o final... me apeguei a esses dois cry
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Devil Hunter +16
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Subaru GRB-"Yellow Hunter" FINALIZADO
» C-drama Master Devil Do Not Kiss Me
» [Outras Coleções] Megaman
» Vendo Mu ex, busto saga e pedestais negros.
» [DAREDEVIL] - Terceira temporada confirmada !!!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
FanFuck :: Fanfictions :: Fanfucks-
Ir para: